Américas Maduro acusou Portugal de sabotar o Natal na Venezuela

Maduro acusou Portugal de sabotar o Natal na Venezuela

"Fomos sabotados e posso dizer de um país em particular, Portugal", afirmou Nicolas Maduro. Em causa está a compra de pernil de porco, que o presidente da Venezuela tinha garantido que ia distribuir pela população para o Natal, o que acabou por não acontecer.
Maduro acusou Portugal de sabotar o Natal na Venezuela
Reuters
Lusa 28 de dezembro de 2017 às 07:29

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou Portugal de sabotar a importação de pernil de porco por parte do governo venezuelano, que não cumpriu a promessa de distribuir entre o povo este tradicional alimento de Natal.

"O que se passou com o pernil? Fomos sabotados e posso dizer de um país em particular, Portugal. Estava tudo pronto, comprámos todo o pernil que havia na Venezuela, mas tínhamos que importar e sabotaram a compra", disse Nicolás Maduro.

O Presidente da Venezuela referiu que fez um plano e acertou os pagamentos, mas que "foram perseguidos e sabotados os barcos" que traziam o pernil.

Nicolás Maduro lamentou ainda que alguns países tenham bloqueado as contas bancárias que iriam ser utilizadas para efectuar os pagamentos.




A sua opinião19
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas

Miséria e fome, eis o comunismo/socialismo.

comentários mais recentes
Fome + fome e mais fome Há 3 semanas

É preciso ser de uma cegueira sectária extrema para continuar, como o Jerónimo, saudoso do regimes da União Soviética, em q era crime punível com prisão, tortura e morte pensar de modo diferente
Como é possível, no século XXI, ainda se lutar pelo descalabro ruinoso em q deu a experiência da US ?

Fome + fome + fome + fome Há 3 semanas

É preciso ser de uma cegueira sectária extrema para continuar, como o Jerónimo, saudoso do regimes da União Soviética, em que era crime punível com prisão, tortura e morte pensar de modo diferente
Como é possível, no século XXI, ainda se lutar pelo descalabro ruinoso em que deu a experiência da US

Anónimo Há 3 semanas

Este pulha que vá reclamar junto do amigo Jerónimo do PCP.
Será que este canalha ditador entende que o Governo de um país exporta carne de porco ?

Desanimado Há 3 semanas

Este ridículo pernil só é comparável ao leitão da Coreia do Norte e ao porco dos EUA.

ver mais comentários
pub