Orçamento do Estado Mais 1,1 milhões de contribuintes deixam de pagar sobretaxa de IRS em 2017

Mais 1,1 milhões de contribuintes deixam de pagar sobretaxa de IRS em 2017

Acordo fechado quinta-feira à noite. A sobretaxa de IRS vai ser totalmente eliminada para o segundo escalão logo em Janeiro, em vez de Abril. Medida custa 15 milhões de euros e aplica-se a 1,1 milhões de contribuintes.
Mais 1,1 milhões de contribuintes deixam de pagar sobretaxa de IRS em 2017
Miguel Baltazar
Os contribuintes que estão no segundo escalão de IRS já não vão pagar sobretaxa no próximo ano. A medida resulta de uma alteração ao Orçamento do Estado para 2017 que foi acordada quinta-feira à noite. A versão inicial previa que estes contribuintes deixassem de pagar sobretaxa de IRS em Abril, mas as negociações entre partidos permite que mais de 1,1 milhões de contribuintes fiquem isentos da sobretaxa já a 1 de Janeiro.

Os detalhes da medida foram confirmados ao Negócios por várias fontes, depois da TVI ter avançado com a informação sobre o fim da sobretaxa para o segundo escalão de IRS. 

Segundo apurou o Negócios, esta mudança custará aos cofres do Estado 15 milhões de euros e não se estenderá a qualquer outro escalão. Ou seja, as negociações após a entrega do Orçamento do Estado entre os partidos que apoiam o Governo permitiram um ganho para os contribuintes do segundo escalão, mas para os restantes deverá manter-se o fim da cobrança da sobretaxa no calendário inicialmente previsto.

Isto significa que os contribuintes que pertencem aos terceiro, quarto e quinto escalões vão ver a cobrança da sobretaxa de IRS terminar em Junho, Setembro e Novembro, respectivamente. 

Os contribuintes no segundo escalão têm rendimentos entre 7.091 euros e 20.261 euros. A versão inicial do Orçamento previa o pagamento de uma sobretaxa de IRS de 0,25% em 2017.

Os contribuintes no primeiro escalão já tinham deixado de pagar sobretaxa de IRS em 2016.

O adiamento do fim da sobretaxa de IRS foi uma das medidas mais criticadas pelos parceiros do Governo. No entanto, o Executivo tinha dito que as pensões e a sobretaxa de IRS eram matérias fechadas, eliminando assim a margem para alterações durante o debate na especialidade.

Às 21 horas termina o prazo para entrega de propostas de alteração.    

(notícia actualizada às 11:21)



A sua opinião41
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


Um governo de ladrões

PS - PCP - BE - e seus apoiantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

A malta da esquerda sonha em roubar os patrões…

Como não consegue, rouba os trabalhados e pensionistas do privado!

comentários mais recentes
Direita e esquerda têm o direito de existir, cabe Há 2 semanas

a cada um de nós saber distinguir aquilo que melhor nos serve. Se fossemos todos ricos, claro que o melhor seria a direita, como (infelizmente) não somos, só uma esquerda democrática pode salvar-nos de um Trump qualquer. É isso que devemos ter em conta na hora de votar e nada mais que isso

Anónimo Há 2 semanas

Continuem a votar e ainda hâo-ve ver i que vos esppera.Chegou a hora da absrenção ou voto nulo,porque a máfia aprenderam todos pelo mesmo livro.

ENA PÁ ! Há 2 semanas

Eu desconhecia essa lei do PSD que permitiu a obtenção da reforma pela media do salario dos ultimos 5 anos. Quer dizer que o PSD deu aos amigos e agora quer tirar aos inimigos. Que grande golpada. Depois ainda dizem que a SS está em dificuldades. Mas foram eles os causadores.

KKKKKKK Há 2 semanas

CIDADÃO, eu conheço um caso desses. Um empresario da nossa praça andava de Ferrari e descontava s/ salario mínimo. Nunca ninguem o chateou. Quando saiu essa lei, o nosso empresario "cumpridor", toca a elevar o salario. Hoje continua com outro Ferrari e recebe uma reforma choruda. É do PSD.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub