Economia Mais de 2.200 toneladas de alimentos doados aos Bancos Alimentares contra a Fome

Mais de 2.200 toneladas de alimentos doados aos Bancos Alimentares contra a Fome

Mais de 2.200 toneladas de alimentos foram doados aos Bancos Alimentares contra a Fome, na campanha que decorreu no fim de semana, anunciou hoje a instituição.
Mais de 2.200 toneladas de alimentos doados aos Bancos Alimentares contra a Fome
Lusa 04 de dezembro de 2017 às 07:21
A campanha de recolha de alimentos terminou pelas 23:00 de domingo e realizou-se em 2.000 supermercados em 21 regiões do país, onde estão instalados os Bancos Alimentares, indicou a presidente do Banco Alimentar, Isabel Jonet, em comunicado enviado à agência Lusa.

Os alimentos recolhidos vão ser distribuídos, a partir da próxima semana, a 2.630 instituições de solidariedade social, que os entregam a cerca de 420 mil pessoas com carências alimentares comprovadas, sob a forma de cabazes ou de refeições confeccionadas, de acordo com a nota.

Em declarações à Lusa no domingo à noite, Isabel Jonet explicou que durante o dia de hoje vão ser "distribuídos em primeiro lugar os produtos frescos" - "frangos, legumes, frutas e pão" - e que, "a partir de terça-feira, é retomado o ritmo regular de entregas diárias", ou seja, "mais de 105 toneladas de alimentos todos os dias" nos 21 Bancos Alimentares do país.

Na recolha de alimentos feita antes do Natal do ano passado, foram doadas mais de 2.000 toneladas de alimentos e na última campanha, realizada em maio, foram recolhidas mais de 1.800 toneladas.

Em 2016, os 21 Bancos Alimentares contra a Fome em funcionamento em Portugal distribuíram 25,6 mil toneladas de alimentos, o que equivale a um valor global estimado superior a 35,8 milhões de euros, de acordo com o mesmo comunicado.

O primeiro Banco Alimentar contra a Fome em Portugal foi aberto em 1991.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Trent Há 1 semana

Agora roubam metade, como aliás é costume.