Mundo Mais de 80% da riqueza gerada no mundo em 2017 nas mãos de 1% da população

Mais de 80% da riqueza gerada no mundo em 2017 nas mãos de 1% da população

Mais de 80% da riqueza criada no mundo em 2017 foi parar às mãos dos mais ricos que representam 1% da população mundial, refere um relatório da organização não-governamental Oxfam hoje divulgado.
Mais de 80% da riqueza gerada no mundo em 2017 nas mãos de 1% da população
Reuters
Lusa 21 de janeiro de 2018 às 23:44

No relatório "Recompensem o trabalho, não a riqueza", a Comissão de Combate à Fome de Oxford (Oxfam, no acrónimo em inglês da confederação de 17 organizações não-governamentais) refere que metade da população mundial não ficou com qualquer parcela daquela riqueza.

 

Segundo a Oxfam, houve um aumento histórico no número de multimilionários no mundo: "actualmente existem 2.043 multimilionários no mundo e 9 em cada 10 são homens".

 

O estudo calculou que a riqueza dos multimilionários aumentou 13% ao ano em média desde 2010, seis vezes mais do que os aumentos dos salários pagos aos trabalhadores (2% ao ano).

 

O mesmo relatório indicou que em 2017 a riqueza desse grupo aumentou 762 mil milhões de dólares (622,8 mil milhões de euros), uma verba suficiente para acabar mais de sete vezes com a pobreza extrema no mundo.

 

Para a organização não-governamental, o crescimento sem precedentes do número de bilionários não é um sinal de uma economia próspera, mas um sintoma de um sistema extremamente problemático já que mais de metade da população mundial tem um rendimento diário entre 2 e 10 dólares (entre 1,6 euros e 8,1 euros).

 

"Enquanto o 1% mais rico ficou com 27% do crescimento do rendimento global entre 1980 e 2016, a metade mais pobre do mundo ficou com 13%", refere o relatório.

 

"Mantendo o mesmo nível de desigualdade, a economia global precisaria ser 175 vezes maior para permitir que todos passassem a ganhar mais de 5 dólares (4 euros) por dia", concluiu a análise.

 

O lançamento do relatório internacional da Oxfam é feito na véspera do Fórum Económico Mundial, que junta os principais líderes políticos e empresariais do mundo na cidade de Davos, na Suíça, entre 23 e 26 de Janeiro.

 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Carlos Há 4 semanas


Mais um relatório da treta.

Camponio da beira Há 4 semanas

Nós por cá, à excepção de 3 ou 4 empresários que criaram riqueza e postos de trabalho,quase tudo o resto dos ricos é a escumalha, principalmente da politica, e alguns do futebol que enriquecem à custa de calotes,dividas a fisco e seg social e corrupção.Aí é que está o problema, riqueza suja.

General Ciresp Há 4 semanas

Parece q estamos perante uma selfie tirada numa noite de luar.Esquecendo porem q a noite de luar so nos da sombra.Aquel q nao conhece este dizer e MARRETA:nao apanhemos as abelhas com vinagre.Quantos milhares de empregos criam estes ricos.Q horario de trabalho tem ele por dia,semana.Olhe-se a AUTOEU

Água Ráz Há 4 semanas

Quando se fala na tal concentração de riqueza dando a impressão que esses fascistas têm a coisa e só eles comem dela .Porém o Bil Gates e outros transformaram gajos tesos em milionários a trabalharem para si e com isso alimentam suas famílias à conta da inteligência alheia.Quantos empregados ricos?

Saber mais e Alertas
pub