Orçamento do Estado Mais de 80% dos trabalhadores do privado já não recebiam em duodécimos

Mais de 80% dos trabalhadores do privado já não recebiam em duodécimos

O fim da medida de pagamento faseado dos subsídios deve ajudar a impulsionar o consumo em épocas como o Natal, acredita o comércio.
Mais de 80% dos trabalhadores do privado já não recebiam em duodécimos
Jorge Paula/Correio da Manhã
Negócios 25 de novembro de 2017 às 12:38
A esmagadora maioria (mais de 80%) dos trabalhadores do privado já viram os seus subsídios recebidos por inteiro este ano, ou seja, sem que o pagamento tenha sido feito em duodécimos.

Segundo o Diário de Notícias deste sábado, 25 de Novembro, esta dimensão - confirmada pelo Ministério do Trabalho - pode ser ainda maior, já que o PCP diz ter-lhe sido garantido por aquele ministério que o número ronda os 97%.

O fim desta opção por pagamento em duodécimos - no âmbito do Orçamento do Estado para 2018 é criticada pelos patrões, mas não só. "Isto é apenas uma guerra que está a ser feita pelo PSD", acusou um deputado comunista ao DN, lembrando a situação dos aposentados e trabalhadores do Estado que não podiam rejeitar os duodécimos.

Já o comércio espera que a recepção dos subsídios por inteiro possa estimular a sua actividade, sobretudo em épocas como o Natal, em que nos últimos anos ocorreram quebras no consumo em virtude da medida aprovada em 2013, era Vítor Gaspar ministro das Finanças.

Ainda assim, a diluição destes subsídios pelos 12 meses do ano impediu que a quebra do consumo ao longo do ano fosse maior durante os anos da 'troika'.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub