Autarquias Mapa: descubra como está a saúde financeira do seu município

Mapa: descubra como está a saúde financeira do seu município

Sabe quanto é que o município em que reside amealha com impostos como o IMI ou IMT? E quanto deve a fornecedores e aos bancos? Consulte o mapa e fique a conhecer como é que a sua autarquia pontua num conjunto de indicadores-chave.

Bruno Simões 27 de dezembro de 2016 às 14:00

O Anuário Financeiro dos Municípios para 2015 passou a pente fino as contas que as câmaras municipais apresentaram no ano passado. O Negócios seleccionou alguns dos principais indicadores e construiu um mapa que apresenta alguma da informação mais útil sobre a situação financeira do seu município. A menos de um ano das autárquicas, fique a saber se a sua câmara está a ser bem gerida.

 

No mapa pode consultar o passivo exigível do seu município, isto é, as dívidas a pagar. Está ainda disponível o valor da colecta de IMI e IMT, bem como o prazo médio de pagamento a fornecedores. Pode também consultar o número de funcionários que trabalham na respectiva câmara municipal, e ficar a conhecer a taxa de execução da receita. Este é um indicador especialmente importante para perceber se a sua câmara empola o orçamento.

 

Se a taxa está perto de 100%, isso significa que as previsões dos serviços municipais estavam correctas e a autarquia amealhou praticamente tudo o que previa. Se o número ficar abaixo dos 85%, cuidado. Pode ser um caso de sobreorçamentação, vulgarmente conhecida como empolamento, para permitir a contracção de despesas. Quando a execução fica abaixo desse patamar, dispara um alerta que informa os autarcas e a Direcção-Geral das Autarquias Locais.

 

O mapa inclui ainda o peso do investimento realizado pelos 308 municípios, quando consideradas as despesas totais comprometidas. Quanto às despesas com pessoal, o mapa informa qual o valor absoluto que foi gasto no ano passado e o respectivo peso nas despesas totais do município.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Tereza economista 30.12.2016

Tal como as empresas municípios super endividados devem ser extintos e os presidentes presos por ma gestão e dano de bens públicos.

Anónimo 29.12.2016

A quem ocorreu a ideia de fazer um mapa destes com valores absolutos? Não esperava este tipo de amadorismo num jornal de negócios. Os 49m de divida de Loulé, não teem nada que ver com os 48m de Lagos que tem quase um terço da receita só em IMI do primeiro. Façam um mapa em condições, por favor!!!

Anónimo 29.12.2016

Então mas ainda não aprenderam a fazer mapas?? Desde quando é que se apresentam valores absolutos sem relacioná-los com o orçamento total? Um valor absoluto não quer dizer nada em si. Impressionante falta de competência... Que mapa tão confuso...

janaina macedo calvo 28.12.2016

A importância dos pequenos negócios no contexto econômico e social brasileiro vem crescendo gradativamente nos últimos 30 anos, as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) são alvo de atenção de analistas econômicos devido seu potencial de geração de renda e de emprego, entretanto, as dificuldades

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub