Política Marcelo ao Negócios: "Assunto encerrado. Ponto final, parágrafo"

Marcelo ao Negócios: "Assunto encerrado. Ponto final, parágrafo"

Questionado sobre as declarações do deputado socialista João Galamba, o Presidente da República recusa responder e alimentar a polémica, fechando o capítulo da "novela" Domingues/Centeno.
Marcelo ao Negócios: "Assunto encerrado. Ponto final, parágrafo"
Bruno Simão/Negócios
"Assunto encerrado". É desta forma que Marcelo Rebelo de Sousa se refere a mais um episódio da polémica da Caixa Geral de Depósitos, com as declarações do deputado socialista João Galamba a visarem o próprio Presidente.

Questionado pelo Negócios sobre as críticas do deputado, feitas a título pessoal enquanto comentador do programa "Sem Moderação" do Canal Q, Marcelo Rebelo de Sousa optou por desvalorizar o episódio. Mais, defende que, para si, o "assunto está encerrado. Ponto final, parágrafo".

O ambiente tem aquecido nos últimos dias entre a Presidência e o Governo, à medida que foi evoluindo a questão das comunicações entre António Domingues, ex-CEO da Caixa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno. Depois de o Presidente ter emitido um comunicado na noite de segunda-feira, visto pelo PS como muito duro para com Mário Centeno, vários deputados socialistas criticaram Marcelo Rebelo de Sousa nas redes sociais. E, já hoje, o Diário de Notícias avança que o Presidente perguntou "mil vezes" a António Costa se havia ou não acordo entre o Governo e António Domingues para que este não tivesse de divulgar o seu património ao Tribunal Constitucional.

O último episódio desta tensão foi agora protagonizado por João Galamba, deputado e porta-voz do PS. "O Presidente da República está profundamente implicado nisto. O que ele tentou fazer, na segunda-feira, político hábil como é, foi tentar demarcar-se e desresponsabiliza-se de algo que é responsabilidade sua", afirmou no já mencionado programa televisivo.

"Tudo aquilo de que é acusado Mário Centeno pode Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente da República, 'ipsis verbis', ser acusado da mesma coisa", acrescentou Galamba, que ao início desta tarde afirmou ao Negócios participar nesse programa a título pessoal, e não enquanto porta-voz do PS.  
 

Certo é que Marcelo Rebelo de Sousa não quis dar importância institucional a estas palavras.

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Legru 16.02.2017

O Dr. Marcelo deveria ter aprendido que, quem sempre recusou ter provocado a situação de bancarrota do país, quem sempre acusou o governo que resolveu o problema, mesmo com os custos de popularidade inerentes, será capaz de tudo. Dr. Marcelo, um conselho de um simples cidadão que o acompanha nas suas crónicas desde 1973. Mantenha-se menos actuante e mais vigilante.
Os portugueses agradecerão.

comentários mais recentes
Legru 16.02.2017

O Dr. Marcelo deveria ter aprendido que, quem sempre recusou ter provocado a situação de bancarrota do país, quem sempre acusou o governo que resolveu o problema, mesmo com os custos de popularidade inerentes, será capaz de tudo. Dr. Marcelo, um conselho de um simples cidadão que o acompanha nas suas crónicas desde 1973. Mantenha-se menos actuante e mais vigilante.
Os portugueses agradecerão.

pub
pub
pub
pub