Política Marcelo aparece muito nas notícias, mas Costa aparece mais

Marcelo aparece muito nas notícias, mas Costa aparece mais

Desengane-se quem pensa que o Presidente da República é quem mais aparece nas notícias. Ao fim do seu primeiro ano na Presidência, um estudo do ISCTE conclui que o "campeão" é António Costa. Marcelo intervém muito, mas com "notícias mais leves" e nas televisões é ele quem vence.
Marcelo aparece muito nas notícias, mas Costa aparece mais
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 24 de janeiro de 2017 às 09:26

Foram mais de um milhar – concretamente, 1.103 – as referências nas notícias a Marcelo Rebelo de Sousa contabilizadas em 2016 pelo Barómetro de Notícias do ISCTE-IUL, divulgado esta terça-feira, 24 de Janeiro, pela Antena 1. O estudo, que avalia cerca de 20 mil peças jornalísticas publicadas e transmitidas ao longo do ano passado, revela ainda que houve três notícias por dia sobre Marcelo e sete manchetes.

 

A surpresa, para quem está já habituado a ver o Presidente da República nas televisões e nos jornais praticamente todos os dias, é que António Costa lhe ficou à frente, surgindo com 1.225 presenças.

 

Gustavo Cardoso, coordenador do estudo, diz  em declarações à Antena 1 que Marcelo intervém mais com notícias mais leves. Além disso, dá audiências e, sobretudo as televisões, que são quem lhe dá mais destaque, há muito que se aperceberam disso. A "marca Marcelo", como lhe chama Gustavo Cardoso, é  também usada e posta a render, pelo próprio Presidente da República. Política, banca, impostos, efemérides e celebrações oficiais são os temas mais associados às notícias com Marcelo Rebelo de Sousa.

Nas televisões é Marcelo quem ganha

Olhando apenas para as notícias emitidas nas televisões, Marcelo ganhou a Costa: 2.093 notícias contra 1.944 do primeiro-ministro. Um outro levantamento, efectuado pela Gfk/Marktest/Media Monitor e noticiado pelo Público, revela que Marcelo foi o político que mais tempo esteve no ar nos oito noticiários diários principais dos canais RTP1, RTP2, SIC e TVI. Ao todo foram 90 horas de emissão, mais do que as cerca de 85 de António costa e muito acima das 19 horas e 45 minutos de Cavaco no ano de 2015.

(notícia actualizada às 9:45 com mais informação)

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub