Conjuntura Marcelo avisa: é preciso esperar para ver se crescimento se mantém

Marcelo avisa: é preciso esperar para ver se crescimento se mantém

Segundo a estimativa rápida hoje divulgada pelo INE, a economia portuguesa cresceu 1,6% no terceiro trimestre do ano em termos homólogos e 0,8% face ao trimestre anterior. O PR recebeu a notícia sem surpresa.
Marcelo avisa: é preciso esperar para ver se crescimento se mantém
Lusa 15 de Novembro de 2016 às 11:53
O Presidente da República recebeu hoje sem surpresa os dados que apontam para um crescimento de 1,6% da economia no terceiro trimestre e advertiu que é preciso esperar para ver se se mantém até ao fim do ano.

"Eu tinha dito uns tempos atrás que havia razões para esperar uma boa execução orçamental e porventura sinais em matéria de economia. Vamos ver é se se mantém até ao fim do ano", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, após questionado pelos jornalistas, à margem de um colóquio na Fundação Calouste Gulbenkian.

Segundo a estimativa rápida hoje divulgada pelo INE (Instituto Nacional de Estatística), a economia portuguesa cresceu 1,6% no terceiro trimestre do ano em termos homólogos e 0,8% face ao trimestre anterior.

O gabinete de estatísticas afirmou que "o crescimento mais intenso do PIB [Produto Interno Bruto] reflectiu principalmente o aumento do contributo da procura externa líquida, verificando-se uma aceleração mais expressiva das exportações de bens e serviços" face à das importações de bens e serviços.

E sublinha ainda que a aceleração das exportações "foi comum às componentes de bens e de serviços".

Por outro lado, aumentou também o contributo da procura interna para a variação homóloga do PIB no terceiro trimestre, em resultado da "aceleração do consumo privado" devido ao comportamento da componente de bens não duradouros e serviços, enquanto a componente de bens duradouros desacelerou.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub