Política Marcelo considera que não havia matéria para se pronunciar sobre Centeno

Marcelo considera que não havia matéria para se pronunciar sobre Centeno

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje que tem acompanhado os factos e que considerou desde o início não haver matéria para se pronunciar em relação ao ministro das Finanças, Mário Centeno.
Marcelo considera que não havia matéria para se pronunciar sobre Centeno
Lusa
Lusa 01 de fevereiro de 2018 às 17:41

"Não me tenho pronunciado por uma razão muito simples: porque não há matéria para me pronunciar", declarou o chefe de Estado, em resposta aos jornalistas, em Lisboa, à margem de uma visita a uma associação.

 

Entretanto, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa comunicou que o Ministério Público arquivou o inquérito que envolvia o ministro das Finanças sobre alegados benefícios em troca de bilhetes para um jogo de futebol do Benfica, numa nota divulgada no seu portal na Internet.

 

Segundo a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, "realizado o inquérito, recolhida a prova documental e pessoal necessária ao apuramento dos factos, o Ministério Público concluiu pela não verificação do crime de obtenção de vantagem indevida ou qualquer outro, uma vez que as circunstâncias concretas eram susceptíveis de configurar a adequação social e política própria da previsão legal".

 

Pouco antes de ser noticiado este comunicado, questionado pela comunicação social se entende que este é "um não caso", Marcelo Rebelo de Sousa respondeu: "Entendo que não há uma questão política que justifique que o Presidente se pronuncie sobre ele".

 

"Eu tenho acompanhado os factos, todos os dias, e olhando para os factos tal como eles se configuram hoje -- desde o primeiro dia, mas até hoje -- eu não encontro matéria politicamente justificativa de uma pronúncia do Presidente da República", afirmou.

 

Marcelo Rebelo de Sousa fez ainda alusão à polémica sobre as declarações de rendimentos da anterior administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD), referindo que há cerca de um ano e meio "precisamente a propósito do senhor ministro das Finanças", considerou que "havia uma questão política que justificava que o Presidente da República se pronunciasse".

 

"E pronunciei. Aqui acho que não há matéria política para me pronunciar", reforçou.

 




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Há um Crime Jornalístico 01.02.2018

Não Comenta?Diz a minha Avó, Quem tem Cú tem Medo,o meu avô diz, Malagueta no Curso dos outros para mim é Refresco, o meu Pai diz, não dá Fotos, nem abraços não me acrescenta nada, ide chatear o c......

Há um Crime Jornalístico 01.02.2018

Aí não comenta, perante um Crime Jornalístico não Comenta? Um caso que passou além Fronteiras não comenta, Será Medo dos Órgãos de Justiça, ou desinteresse porque não dá para Abraços Beijos Fotos, não acrescenta na Popularidade.

General Ciresp 01.02.2018

Este PERITEIRO fez a mesma cagada aquando dos incendios em Pedrogao,quando culpou as faisca como responsaveis do descalabro.Sempre a maneira mais facil de sacudr a agua das penas,pobre peru.

E sobre a atuação do MP ? 01.02.2018

Sobre o ministério público também não é razões para comentar ? Ou Medo de Comentar ?

ver mais comentários
pub