Política Marcelo convoca Conselho de Estado e Conselho Superior de Defesa

Marcelo convoca Conselho de Estado e Conselho Superior de Defesa

O Presidente da República marcou para dia 21 reuniões do Conselho de Estado e do Conselho Superior de Defesa. Reunião do Conselho de Estado deve abordar situação económica e financeira.
Marcelo convoca Conselho de Estado e Conselho Superior de Defesa
Cofina Media
Negócios 07 de julho de 2017 às 12:45

O Presidente da República vai convocar reuniões do Conselho Superior de Defesa e do Conselho de Estado para o próximo dia 21, avançou o Expresso, uma informação que foi confirmada pelo Negócios junto de fonte oficial do Palácio de Belém.

Marcelo Rebelo de Sousa, citado pela RTP, disse entretanto que em agenda estarão "vários temas políticos e militares que estavam já na agenda anterior, no caso do Conselho Superior de Defesa Nacional. E é essencialmente a situação económica e financeira internacional e nacional, no Conselho de Estado".

O Chefe de Estado adianta que as reuniões deviam ter-se realizado em Junho, mas que "por razões óbvias" passaram para Julho. "E depois haverá a seguir ao Verão e até ao fim do ano mais duas", acrescentou.

Na página oficial da Presidência da República não consta ainda informação sobre os dois encontros.

O Expresso referia que a reunião daqueles dois órgãos debruçar-se-á sobre a segurança do Estado, numa altura em que tem sido questionado o papel das autoridades públicas e do Governo nas mortes causadas pelos incêndios no centro do país e do roubo de armamento de Tancos.

O Presidente da República defendeu ser necessário apurar "tudo, de alto a baixo, até ao fim, doa a quem doer. (...) O que se exige neste caso é "uma investigação total, integral", não "deixando ninguém imune," no que diz respeito aos roubos de material militar dos Paióis Nacionais de Tancos.

Esta quinta-feira, o Presidente promulgou a lei que cria a comissão técnica independente sobre os incêndios, deixando no entanto reservas sobre o prazo de duração - que considerou longo - e sobre o facto de ser uma experiência "sem precedente jurídico ou político."

A última reunião do Conselho de Estado aconteceu a 31 de Março com "o enquadramento, a evolução e os desafios do comércio internacional," de acordo com o comunicado da Presidência da República divulgado na altura.

O Conselho Superior de Defesa Nacional reuniu pela última vez a 13 de Março, em encontro ordinário, na Base Aérea N.º1, em Sintra. No encontro foi dado parecer favorável às alterações a introduzir na iniciativa Mar Aberto, no Golfo da Guiné e feito um ponto de situação das operações das forças nacionais destacadas, de acordo com o comunicado publicado na altura.

(Notícia actualizada às 15:05 com mais informação; título alterado para corresponder às afirmações entretanto feitas pelo Presidente da República)




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 07.07.2017

Em comparação com Marcelo e o seu governo das esquerdas unidas, Obama foi um fanático ultra neoliberal. As pessoas mais desatentas ou distraídas deviam ter consciência disto. Cabe a órgãos de comunicação social como o Jornal de Negócios, de forma pedagógica, a facilitação dessa informação verídica e oportuna à luz dos desafios que Portugal e os portugueses enfrentam e dos quais muitos nem se apercebem. Foi lamentável o que aconteceu em Pedrógão Grande e em Tancos por causa do investimento público ter sido cortado pelo governo socialista para o nível mais reduzido desde 1960 para equilibrar contas públicas pressionadas pela patologicamente extensa e criminosamente hiperinflacionada folha salarial e de pensões do Estado. "Job shifts under Obama: Fewer government workers, more caregivers, servers and temps" www.pewresearch.org/fact-tank/2015/01/14/job-shifts-under-obama-fewer-government-workers-more-caregivers-servers-and-temps/

comentários mais recentes
Anónimo 07.07.2017

http://www.dn.pt/lusa/interior/governo-espanhol-vai-lancar-concurso-para-20280-novos-funcionarios-publicos-8620543.html

Espanha e outros Países começam finalmente a repor funcionários públicos depois dos anos da Crise.

Portugal deve fazer o mesmo e começar a contratar novos funcionários

Anónimo 07.07.2017

O Governo de Passos Coelho acabou com a Guarda Florestal, erro gravíssimo.

Este erro custou vidas em 2017, mas tava à vista que isso ia acontecer quando se acaba com a "polícia da floresta".

A visão Passista de "ir além da Troika", saiu muito caro ao País.

pertinaz 07.07.2017

BANDALHEIRA...!!!

Anónimo 07.07.2017

Para que não se repitam tragédias como as que têm acontecido por falta de meios e pessoas é urgente contratar pessoas para a Função pública de modo a repor gradualmente os 100.000 funcionários que a Função Pública perdeu desde 2011. São médicos, bombeiros, enfermeiros, soldados, polícias, etc...

ver mais comentários
pub