Política Marcelo deseja felicidades a Rui Rio e reitera que é preciso oposição forte

Marcelo deseja felicidades a Rui Rio e reitera que é preciso oposição forte

O chefe de Estado desejou hoje felicidades ao recém-eleito presidente do PSD, Rui Rio, e reiterou a mensagem de que Portugal precisa de "uma forte área da governação e uma oposição forte", que seja alternativa de Governo.
Marcelo deseja felicidades a Rui Rio e reitera que é preciso oposição forte
Lusa 16 de janeiro de 2018 às 17:45

Em declarações aos jornalistas, na varanda do Palácio de Belém, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar a escolha para a liderança do PSD nem fazer conjecturas sobre o seu futuro relacionamento com Rui Rio.

 

"Eu só posso repetir aquilo que tenho dito desde o início do meu mandato: a democracia ganha em ter um Governo forte, uma forte área da governação, e uma oposição forte, para poder ser uma alternativa no momento do voto dos portugueses", afirmou.

 

"Portanto, aquilo que já pensava no passado, penso neste momento também para o futuro. E desejo felicidades, naturalmente, ao novo líder do PSD", acrescentou.

 

Questionado se os consensos partidários que tem pedido poderão ficar mais fáceis com o novo presidente do PSD, o Presidente da República respondeu que "é prematuro estar a fazer comentários sobre isso", salientando que Rui Rio "ainda não iniciou funções".

 

Interrogado sobre a afirmação do primeiro-ministro, António Costa, de que espera dar-se melhor com Rui Rio do que com Pedro Passos Coelho, Marcelo Rebelo de Sousa retorquiu: "Não tenho mais nada a acrescentar, neste momento".

 

"Aquilo que eu digo é exactamente aquilo que sempre disse, que é: é importante que haja em Portugal várias soluções alternativas para o Governo do país - quem está no Governo, forte; quem está na oposição, forte", repetiu.

 

Na opinião do chefe de Estado, "depois, sendo possível haver diálogo e entendimentos de regime, muito bem", mas "se não for possível, em qualquer caso, há a hipótese de os portugueses pelo voto escolherem um dos dois termos de alternativa".

 

Rui Rio foi eleito presidente do PSD em eleições directas realizadas no sábado, com 54,37% dos votos, mais 10 pontos percentuais do que o seu adversário, Pedro Santana Lopes.

 

No seu discurso de vitória, o ex-presidente da Câmara Municipal do Porto prometeu que seguirá o legado de Francisco Sá Carneiro e avisou que o actual Governo do PS terá uma "oposição firme e atenta" da nova liderança do PSD, mas "não demagógica ou populista".

 

O novo presidente do PSD irá entrar em funções a partir do 37.º Congresso social-democrata, que decorrerá em Lisboa, nos dias 16, 17 e 18 de Fevereiro, substituindo Pedro Passos Coelho na liderança do partido.

 

O Presidente da República irá receber Rui Rio em audiência no dia 19 de Fevereiro, imediatamente após o Congresso do PSD




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
General Ciresp 16.01.2018

Alguma coisa me diz q a eleicao de Rui Rio vai acelerar o selfie tripa para o EXIT.Ter convidado apenas um dos dois candidatos para uma TAINA,traz agua no bico.O pais tem mais a ganhar com um primeiro ministro melhor que o presidente da republica coisa que actualmente nao acontece neste pais,e pena.

Saber mais e Alertas
pub