Política Marcelo diz que país está menos crispado que há cinco meses

Marcelo diz que país está menos crispado que há cinco meses

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou que o país está hoje menos crispado do que há cinco meses e disse esperar que a classe política "acompanhe o país e não se crispe muito".
Marcelo diz que país está menos crispado que há cinco meses
Lusa 26 de outubro de 2017 às 20:01
"Acho que o país está menos crispado, acho que as zonas atingidas pelas tragédias estão mais carentes de afetos e não só de afectos, mais do que afectos, mas o país em geral acho que menos crispado", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, onde prossegue a deslocação ao grupo oriental dos Açores.

O chefe de Estado falava aos jornalistas no complexo lúdico e pedagógico "Coriscolância", da Kairós - Cooperativa de Incubação de Iniciativas de Economia Solidária e após ser questionado como estava o país cinco meses depois da primeira deslocação ao arquipélago dos Açores, em Junho, quando visitou as sete ilhas dos grupos central e ocidental.

Nessa altura, o Presidente da República declarou na Horta, ilha do Faial, que "o país estava perdido", em termos psicológicos, "carecido de afecto", quando iniciou o seu mandato e que, entretanto, o "universo dos afectos" trouxe "uma viragem política fundamental".

"A mera viragem psicológica, que passou pelo universo dos afectos, foi uma viragem política fundamental", defendeu, considerando que "hoje é impossível fazer política na base apenas da cabeça".

Hoje, interrogado como está a classe política, Marcelo Rebelo de Sousa disse esperar que também acompanhe o país "e não se crispe muito".

Marcelo Rebelo de Sousa disse ainda que o país está "sereno" e "tranquilo", mas, "no caso do que se passou nas tragédias, "um país chocado com a tragédia e, por outro lado, os que lá vivem à espera de respostas".

"Espero que venham rápidas", acrescentou.



A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Observador Há 3 semanas

Marcelo faz o que é previsível em politica ! Passos foi a andar ,voltou o que anda por AÍ , mas está Rui de El Rio ... Marcelo está á espera dele ! Os abraços, beijos e palavras não dão de comer ás pessoas , o CATAVENTO tambêm assim procede !

Criador de Touros Há 3 semanas

Mete dó ver o presidente Marcelo envolvido politicamente com um primeiro-ministro, António Costa, sem qualidades para o cargo, sem qualquer talento para governar e com posturas vergonhosas indignas de uma pessoa responsável. Refiro-me às declarações que ele fez à imprensa na madrugada da última tragédia e às férias que tirou logo a seguir à primeira tragédia que vitimou tantas dezenas de portugueses. Num total de mais de 100 mortos. E tantos prejuízos patrimoniais. E que falta de estatura de António Costa !...Viu-se bem o que é um primeiro-ministro socialista esquerdista com coração de pedra. Portugal não precisa de políticos falsos. O presidente Marcelo que abra os olhos !...

Criador de Touros Há 3 semanas

No discurso do presidente Marcelo a bota não bate com a perdigota.

O PR,o Governo,a Popularidade/Ditadura Há 3 semanas

Esqueceu a maneira de encarar o Problema da parte do Povo, q não Gosta,nem Aprecia, mesmo nada, Traições, Deslealdade, O POVO que admirava a Conivência entre Costa e P. República, q garantia o Futuro, que elevou a Popularidade do PR, Recebeu com Surpresa Esta Enorme Facada, Desgosto por esta Traição

ver mais comentários
pub