Política Marcelo diz-se "muito atento" a eventuais diplomas legais "eleitoralistas"

Marcelo diz-se "muito atento" a eventuais diplomas legais "eleitoralistas"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, garantiu hoje estar "muito atento ao respeito do princípio da imparcialidade" e, em particular, a que "não haja diplomas legais eleitoralistas" que lhe cheguem para promulgação em período pré-eleitoral.
Marcelo diz-se "muito atento" a eventuais diplomas legais "eleitoralistas"
Cofina Media
Lusa 06 de setembro de 2017 às 18:06
Questionado pela Lusa, em Legrena, Grécia, sobre as declarações do líder do PSD, que considerou importante que o Presidente da República se pronunciasse sobre anúncios feitos pelo Governo em vésperas de eleições autárquicas, o chefe de Estado lembrou que não costuma comentar no estrangeiro "situações de política portuguesa", mas recordou "uma declaração sobre a matéria" feita muito antes da sugestão de Pedro Passos Coelho.

"Eu já fiz uma declaração sobre a matéria muito antes do período pré-eleitoral, dizendo que estou muito atento ao respeito do principio da imparcialidade, inclusive nos diplomas legais que promulgo, atento a que não haja diplomas legais eleitoralistas que venham para promulgação neste período pré-eleitoral", declarou Marcelo Rebelo de Sousa.

Na terça-feira, Passos Coelho acusou o Governo socialista de, em vésperas de eleições, fazer sucessivos "anúncios que, do ponto de vista político, contendem com o dever de neutralidade e de isenção do Governo no acto eleitoral".

"Talvez o senhor Presidente da República possa dizer alguma coisa sobre essa matéria. Isso sim, isso seria importante, numa democracia como a nossa, que o Governo se abstivesse todos os dias de fazer anúncios que violam o seu dever de imparcialidade e de neutralidade", sustentou o líder social-democrata.

O Presidente da República participou hoje em Legrena, a sul de Atenas, na cerimónia comemorativa do 10.º aniversário da Organização Europeia de Direito Público (EPLO, sigla de European Public Law Organization), à qual Portugal aderiu no corrente ano.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
invicta Há 1 semana

Veremos se a seguir às eleições o Marcelfie vira o discurso. Caso contrário, é mais do mesmo.

Anónimo Há 1 semana

O PR deveria adiar as eleições para assim se apurar eventuais responsabilidades e castigar os criminosos dos 64M dos incêndios e eventuaisladrões dosdonativos.

General Ciresp Há 1 semana

De tudo que aqui esta escrito,uma coisa sabemos,o poupadinho nao para de gastar.Nao sei o que ele foi procurar a Grecia,uma vez que tudo aquilo que a Grecia tem,nos tambem temos e em iguais circunstancias,ate na divida.

pub