Economia Marcelo fala ao país hoje às 20:30 em Oliveira do Hospital

Marcelo fala ao país hoje às 20:30 em Oliveira do Hospital

O Presidente da República dirige-se ao país a partir de Oliveira do Hospital, depois de António Costa ter falado na segunda-feira à noite e de hoje Assunção Cristas ter anunciado uma moção de censura ao Governo.
Marcelo fala ao país hoje às 20:30 em Oliveira do Hospital
Marta Moitinho Oliveira 17 de outubro de 2017 às 17:09

Marcelo Rebelo de Sousa fala esta noite ao país a partir de Oliveira do Hospital, o concelho onde se verificaram mais mortos nos incêndios que deflagraram no domingo e que provocaram um total de 41 vítimas mortais.

"O Presidente da República desloca-se hoje ao fim da tarde a Oliveira do Hospital, concelho em que se verificaram mais vítimas mortais na sequência dos fogos florestais do último domingo, para visitar os locais mais atingidos e estar com as populações mais afectadas. O Chefe de Estado falará ao País pelas 20h30, directamente dos Paços do Concelho daquela cidade", revela uma nota da Presidência.

A declaração acontece numa noite de jogo para Liga dos Campeões, onde o Porto defronta o Leipzig, mas por altura do intervalo da partida. 


O chefe de Estado fala um dia depois de António Costa ter feito uma declaração ao país, onde o primeiro-ministro rejeitou demitir a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa. "É tempo de decisões, não de demissões", afirmou o líder do Governo, ao mesmo tempo que prometeu acção. "É tempo de passar das palavras aos actos", disse, remetendo para decisões que serão tomadas no Conselho de Ministros extraordinário de sábado.

Hoje mesmo, a líder do CDS, Assunção Cristas anunciou que o partido vai avançar com uma moção de censura ao Governo por "inacção do Governo". 

A Presidência da República tinha avançado na segunda-feira que estava a preparar uma comunicação ao país para quando houvesse uma estabilização dos fogos que chegou com a chuva desta madrugada. Nessa nota, o Presidente pelava a uma "mudança de ponto de vista, traduzida em actos e não em palavras. O que acabou de suceder só dá razão acrescida à sua intervenção de sábado passado", quando pedia acção e que fossem retiradas consequências. 

(Notícia actualizada às 17:24)




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ccc Há 4 dias

Se tivesse demitido a ministra em Junho evitava-se o repetir desta vergonha!

Anónimo Há 4 dias

Para Quê ?
Para dizer que se vai fazer mais uns estudos mais uma perda de tempo como foi em Pedrogão porque no fim não se faz nada .
O Presidente que agora é o Marcelo tem de mostrar que tem autoridade palavras e conversa não chega morreram pessoas e tem de existir responsabilidades pelas decisões e escolhas feitas porque o que temos é gente ininputavel neste País para isso basta serem politicos sacodem a agua do capote assobiam para o lado e o povo que se lixe.

General Ciresp Há 4 dias

Vamos esperar que nao repita a palavra FAISCA como fez em Pedrogao.

Saber mais e Alertas
pub