Política Marcelo irá falar com partidos sobre Programas de Estabilidade e de Reformas

Marcelo irá falar com partidos sobre Programas de Estabilidade e de Reformas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira que irá discutir nas suas próximas audiências com os partidos, depois da Páscoa, o Programa de Estabilidade e o Programa Nacional de Reformas a apresentar pelo Governo.
Marcelo irá falar com partidos sobre Programas de Estabilidade e de Reformas
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 07 de abril de 2017 às 17:31

De acordo com uma nota divulgada no website da Presidência da República, o chefe de Estado vai receber PSD, PS, BE, CDS-PP, PCP, PEV e PAN nos dias 17 e 18 de Abril, no âmbito dos "contactos regulares" que mantém com os partidos políticos com representação parlamentar.

 

À margem de uma visita a uma exposição sobre saúde em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa foi questionado sobre qual será o tema dessas audiências. "Como saberão, o Governo vai aprovar o Plano de Estabilidade e o Plano Nacional de Reformas na versão para o futuro próximo que irá depois ao parlamento. Entre um momento e outro momento, o Presidente da República recebe, como tem feito periodicamente, os partidos com assento parlamentar", justificou.

 

O parlamento debaterá em 19 de Abril o Programa de Estabilidade e o Programa Nacional de Reformas.

 

Há um ano, na primeira vez que o chefe de Estado chamou a Belém os partidos com representação parlamentar depois de tomar posse, em 9 de Março de 2016, o tema dos encontros foi também o Programa de Estabilidade e o Programa Nacional de Reformas apresentados pelo Governo.

 

Os jornalistas ainda tentaram questionar o Presidente da República sobre a crítica que lhe foi dirigida pelo líder do PSD, Pedro Passos Coelho - que afirmou em entrevista à SIC que teria gostado de ver o chefe de Estado defender o Conselho de Finanças Públicas - mas Marcelo Rebelo de Sousa já se afastava da comunicação social.

 

Segundo a agenda divulgada por Belém, o primeiro encontro do chefe de Estado será com o PSD, no dia 17, pelas 14:00. Uma hora mais tarde, às 15:00, acontecerá a reunião do Presidente da República com o PS e, às 16:00, será a vez de o BE ser recebido no Palácio de Belém.

 

Para dia 18 ficaram agendadas as audiências com o PCP (14:00), PEV (15:00), PAN (16:00) e CDS-PP (17:00).

 

Esta é a quarta vez que Marcelo Rebelo de Sousa chama os partidos com representação parlamentar sem ser por imposição constitucional.

 

Depois dos encontros em Abril de 2016, que tiveram como tema o Programa de Estabilidade e o Programa Nacional de Reformas, Marcelo Rebelo de Sousa voltou a receber as delegações partidárias para uma análise da situação política, em 25 de Julho.

 

Em Outubro, o chefe de Estado convocou novamente os partidos com assento parlamentar para audiências em Belém, na sequência da apresentação da proposta de Orçamento do Estado para 2017.

 

Em 27 e 28 de Junho, o Presidente da República recebeu os partidos representados na Assembleia Legislativa dos Açores, por imposição constitucional, no quadro da marcação da data das eleições nesta região autónoma.


A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Da insistência na cultura do excedentarismo de carreira à extorsão e pilhagem instituída é um ápice. Pobre Portugal que nem sabe discernir qual o inimigo.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Da insistência na cultura do excedentarismo de carreira à extorsão e pilhagem instituída é um ápice. Pobre Portugal que nem sabe discernir qual o inimigo.

pertinaz Há 2 semanas

REFORMAS ??? SÓ SE FOR DAS PENSÕES ... A ESCUMALHA NÃO QUER OUVIR FALAR DE REFORMAS...

Geriatrico Há 2 semanas

..devia falar para além das reformas...e a natalidade? .... Perspectiva se um futuro de Portugal com 7,5 milhoes e habitado maioritariamente por "velhos" .... Rico futuro! ....que apoios dar no incentivo à natalidade?...flexibilidade laboral em part times?, fiscalidade, apoios sociais...cresces,?

Anónimo Há 2 semanas

Marcelo(lambedor), quem diria? Tanto "lambia" as botas ao Salazar como "Lambe" as dos geringonços. Afinal a máscara TV caiu.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub