Economia Marcelo: Manutenção do rating pela DBRS é o esperado até haver decisão sobre défice

Marcelo: Manutenção do rating pela DBRS é o esperado até haver decisão sobre défice

O Presidente da República considerou esta sexta-feira que a manutenção do rating atribuído a Portugal pela agência de notação financeira DBRS é o esperado até haver uma decisão europeia sobre a saída do procedimento por défice excessivo.
Marcelo: Manutenção do rating pela DBRS é o esperado até haver decisão sobre défice
Lusa 21 de abril de 2017 às 19:53

"Era o que se esperava, até haver uma decisão sobre a saída do procedimento por défice excessivo não é de esperar que as agências subam o rating. Depois de haver uma decisão, se for positiva, como é de esperar, aí, a seguir ao Verão, é que poderá haver boas notícias", declarou Marcelo Rebelo de Sousa, em resposta aos jornalistas, durante uma visita à Mesquita de Lisboa.

 

O chefe de Estado aproveitou para referir que "hoje chegaram notícias boas, como uma previsão do ISEG de crescimento de 2,4% para o primeiro trimestre", que no seu entender é até "um pouco excessiva", mas "em qualquer caso mostra uma tendência positiva", e recomendou: "Vamos esperar pelo fim do Verão".

 

A agência de notação financeira DBRS anunciou hoje que decidiu manter o rating atribuído a Portugal em 'BBB' (baixo), o primeiro nível de investimento acima do 'lixo', com perspectiva estável.

 

A DBRS justificou a manutenção do rating com factores positivos, ligados ao cumprimento das regras europeias, mas também negativos, alertando que se colocam "desafios significativos" a Portugal, como os "níveis elevados de endividamento público e empresarial, um crescimento potencial baixo e pressões orçamentais".

 

Questionado sobre se contava com uma subida do rating, o Presidente da República respondeu que "não, o que se esperava era a manutenção da situação actual", e reafirmou que só deverá haver uma melhoria de perspectiva "quando houver uma saída do procedimento por défice excessivo". 




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 21.04.2017

Este gajo não é PS, não é BES, não é PSD nem é CDS, não é nada. Este gajo é de quem lhe der votos e estiver no poder.

comentários mais recentes
Anónimo 22.04.2017

Em comparação com Marcelo e o seu governo das esquerdas unidas, Obama foi um fanático ultra neoliberal: "Job shifts under Obama: Fewer government workers, more caregivers, servers and temps" www.pewresearch.org/fact-tank/2015/01/14/job-shifts-under-obama-fewer-government-workers-more-caregivers-servers-and-temps/

Enche os bolsos 22.04.2017

E o que dizem as outras 3 agências de rating acerca deste país que segue os passos da Grécia? Este jornaleiro faz rir os mortos. Tem capacidade para trabalhar no circo.

DJ viajante 21.04.2017

Poderiam ter feito um artigo conjunto para MRS e Costa. A sintonia, o discurso, o artigo sao o mesmo. Para quê gastar saliva?

Anónimo 21.04.2017

Em comparação com Marcelo e o seu governo das esquerdas unidas, Obama foi um fanático ultra neoliberal: "Job shifts under Obama: Fewer government workers, more caregivers, servers and temps" www.pewresearch.org/fact-tank/2015/01/14/job-shifts-under-obama-fewer-government-workers-more-caregivers-servers-and-temps/

ver mais comentários
pub