Economia Marcelo: O fundamental é Centeno manter o caminho das finanças portuguesas

Marcelo: O fundamental é Centeno manter o caminho das finanças portuguesas

O Presidente da República considerou hoje que os apoios à candidatura de Mário Centeno à presidência do Eurogrupo são motivo de alegria, mas que o mais importante é, como ministro, manter o actual caminho das finanças portuguesas.
Marcelo: O fundamental é Centeno manter o caminho das finanças portuguesas
Duarte Roriz
Lusa 30 de novembro de 2017 às 20:56

Em declarações aos jornalistas, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que "o cargo de ministro das Finanças de Portugal é mais importante do que o cargo de presidente do Eurogrupo".

 

"Portanto, sendo acumuláveis, naturalmente que importa às Finanças que o ministro das de Portugal continue a garantir um percurso que é indubitavelmente positivo, e a Europa reconhece isso, mas que é preciso garantir até ao final da legislatura", acrescentou.

 

Questionado se foi a melhor opção o Governo português assumir esta candidatura, o chefe de Estado respondeu: "O fundamental é que, enquanto ministro das Finanças de Portugal, garanta o caminho e a gestão das finanças portuguesas de modo a merecer, como mereceu, aparentemente, ou pode vir a merecer, o aplauso e o apoio da Europa".

 

"Depois, se for possível juntar a isso a defesa na Europa daquilo que é fundamental para a Europa e para Portugal, melhor", acrescentou.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

Marcelo já se definiu há muito tempo. O que ele quer são votos, likes e dar palmadinhas nas costas. O excedentarismo dá-lhe votos, as pensões de reforma que dão tudo hoje e nada amanhã dão-lhe likes e as palmadinhas nas costas dos pobrezinhos e esquecidos é o que melhor sabe fazer sem contudo solucionar de modo inteligente, justo e sustentável o que quer que seja.

comentários mais recentes
Tentando Perceber a Política Há 1 semana

Percebe-se a endesfarsavel dor de C....
Como gosta de ser sempre Cabeça de Lista, O Senhor Televisão, quando infuscado mostra-se ciumento, vai ser um Perigo a Qualquer Governo.

Anónimo Há 1 semana

Marcelo já foi certamente endoutrinado na cartilha anti-liberal do fundamentalismo islâmico. Em comparação com Marcelo e o seu governo das esquerdas unidas, Obama foi mesmo um fanático ultra neoliberal. Os fanáticos terroristas radicais, selvaticamente anti-liberais e inerentemente anti-mercado concorrencial, estão a conquistar território no al-Gharb al-Andalus. Da próxima chamem mas é a ONU que com a troika já não vai lá. O caso é cada vez mais sério. "Job shifts under Obama: Fewer government workers, more caregivers, servers and temps" www.pewresearch.org/fact-tank/2015/01/14/job-shifts-under-obama-fewer-government-workers-more-caregivers-servers-and-temps/

Anónimo Há 1 semana

Marcelo já se definiu há muito tempo. O que ele quer são votos, likes e dar palmadinhas nas costas. O excedentarismo dá-lhe votos, as pensões de reforma que dão tudo hoje e nada amanhã dão-lhe likes e as palmadinhas nas costas dos pobrezinhos e esquecidos é o que melhor sabe fazer sem contudo solucionar de modo inteligente, justo e sustentável o que quer que seja.

pub