Segurança Social Marcelo prepara aprovação rápida da descida da TSU

Marcelo prepara aprovação rápida da descida da TSU

O Expresso avança que o Presidente da República conta com Costa para encontrar um plano B perante um eventual chumbo da redução da TSU no Parlamento.
Marcelo prepara aprovação rápida da descida da TSU
Bruno Simão
Marta Moitinho Oliveira 16 de janeiro de 2017 às 19:36

O Presidente da República prepara-se para aprovar em 24 horas o decreto-lei que reduz a Taxa Social Única (TSU) para os patrões, sabe o Negócios. O objectivo de Marcelo é dar um sinal de conforto ao Governo quanto ao cumprimento do acordo de concertação social. No entanto, o chefe de Estado está a contar com Costa para encontrar a alternativa que os patrões pedem perante um eventual chumbo da medida no Parlamento, avançou o Expresso.

O primeiro-ministro, António Costa, mostrou-se esta segunda-feira descansado e disse aguardar uma decisão do Presidente da República. Logo pela manhã, Costa deu a entender que era intenção do Governo aprovar nesse dia o decreto-lei que reduz a TSU em 1,25 pontos percentuais para as empresas com trabalhadores a receberem salário mínimo. O objectivo final era que o decreto-lei pudesse chegar a Belém ainda na segunda. Assim que chegar, Marcelo admite fazer uma aprovação relâmpago, tal como fez com o Orçamento do Estado para 2017. 

Costa vai esta terça-feira à Assembleia ao debate quinzenal e o tema escolhido pelo Governo é a situação económica e financeira. O salário mínimo e a redução da TSU deverão marcar presença, já que a ameaça de chumbo no Parlamento da redução da TSU tem marcado o debate político. Se Costa chegar ao plenário já com a redução da TSU promulgada, pode partir para o ataque ao PSD – que Costa ainda não fez.

Publicamente, Costa deixará que as coisas sigam o seu curso – só depois de publicado em Diário da República é que poderá haver uma apreciação parlamentar. E até lá há um "tempo longo" para Passos Coelho que tem estado sob fogo, até por parte de militantes do PSD.

No entanto, segundo o Expresso avança, o Governo deverá preparar um plano B, para o caso da contrapartida ao aumento do salário mínimo cair mesmo. 


A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
José Batista 17.01.2017

O sonho da extrema esquerda concluído... um governo e um presidente! És um merdas!

José Santos 17.01.2017

Plano B: três meses de férias por ano a todos os sindicalistas da CGTP.

Santos Artur 17.01.2017

Tanta rapidinha que perde o gosto a uma bem dada.

Álvaro Rodrigues Asr 17.01.2017

Que palhaço.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub