Política Marcelo quer Passos e Costa até final da legislatura

Marcelo quer Passos e Costa até final da legislatura

"O ideal era que o Governo durasse uma legislatura e a liderança da oposição também", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.
Marcelo quer Passos e Costa até final da legislatura
Miguel Baltazar/Negócios
André Veríssimo 22 de janeiro de 2017 às 22:19

O Presidente da República quer um Governo e uma oposição forte, que durem até ao fim da legislatura. Uma mensagem deixada na entrevista à SIC, este domingo à noite, onde Marcelo Rebelo de Sousa também defendeu a descida da TSU.

 

"O ideal era que o Governo durasse uma legislatura e a liderança da oposição também", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa. "Para um Presidente da República, sobretudo arrancando nas condições difíceis em que se arrancou (...) é muito importante que o governo seja forte. Por outro lado é importante para um Presidente da República que a oposição seja forte, para ter dois termos de alternativa. O pior é se as coisas não correrem bem e não haver um termo de alternativa", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

 

Numa altura em que crescem as vozes sobre a possibilidade de ocorrerem eleições antecipadas devido à polémica da TSU e de muito sconsiderarem que Passos Coelho tem uma liderança frágil no PSD, Marcelo reiterou que é importante que o "Governo tenha condições para poder governar" e também "fundamental que a oposição seja muito forte".

Não querendo comentar directamente a posição do PSD sobre a recusa em aprovar a descida da TSU às empresas para compensar o aumento do salário mínimo, Marcelo afirmou que o partido liderado por Passos Coelho "é livre de votar como quer", até porque ao contrário do passado, agora "não há memorando da troika".  

O Presidente defendeu ainda que há uma descrispação e "uma distensão da sociedade civil em geral". "[Quando tomei posse] Encontrei um panorama em que todos os dias me perguntavam quando dissolvia o parlamento, se os bolcheviques já tomaram conta do Palácio de Inverno", descreveu Marcelo. Um ambiente que garante ter mudado, elogiando a descida do défice, que diz ficará abaixo dos 2,3%.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ciao Ciao Há 3 semanas

marcelo continua em marte, nao diz coisa com coisa, fala em lugares comuns, continua o basofio comentador nao e presidente. O pcp ja o alertou para cumprir a constituiçao e nao se meter onde as suas competencias nao chegam. Lentamente marcelo vai cavando a sua propria sepultura.

Anónimo Há 3 semanas

O povo português já começa a estar farto de "conversa fiada de Belém" . A dívida pública
portuguesa é a 2 (segunda) maior da Europa.

Ó Laurentino Há 3 semanas

Pois 4 anos eram razoáveis para organizar ,ele estava bem informado que a tropa fandanga preparava e se tivesse visão e com coração português teria sido Um D.Baltazar I à moda do D.Pedro IV brasileiro . O Spínola despoletou e a crise e depois fugiu o que mostra q não sabia o q andava a fazer traiu

Laurentino Há 3 semanas

Ó BASICO, o seu nome ajusta-se perfeitamente à sua pessoa. O sr aldraba tudo. O dr Baltazar R. de Souza, pai do sr PR, foi gov geral de Moçambique de 68/70. Em 25/4/74 era gov Manuel Pimentel Pereira dos Santos. Outros se sucederam, sendo ultimo gov o almirante Vitor Crespo de 12/9/74 a 25/6/74.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub