Saúde Marcelo realça "empenho do Estado" na resposta às necessidades de doentes

Marcelo realça "empenho do Estado" na resposta às necessidades de doentes

O Presidente da República realçou o "empenho do Estado" e do sistema de saúde na resposta às necessidades dos doentes, apelando às pessoas para que recorram aos centros de saúde, em vez dos hospitais, em caso de gripe.
Marcelo realça "empenho do Estado" na resposta às necessidades de doentes
Bruno Simão/Negócios
Lusa 30 de dezembro de 2016 às 22:03

Marcelo Rebelo de Sousa visitou esta sexta-feira o Centro de Saúde de Sete Rios, em Lisboa, na companhia do ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, para, como explicou aos jornalistas, fazer "o acompanhamento", num gesto de solidariedade, da resposta das unidades de saúde e dos profissionais nos "períodos críticos", como o da gripe.

 

"As estruturas estão a fazer o impossível para responder às necessidades", assinalou, enaltecendo "a dedicação total" de médicos e enfermeiros.

 

Marcelo Rebelo de Sousa disse, ainda, que a visita ao Centro de Saúde de Sete Rios serviu para "mostrar o empenho do Estado, como um todo", nesta época do ano, na resolução dos problemas de saúde das pessoas, que, em caso de gripe, "deveriam acorrer mais aos centros de saúde", e não aos hospitais, e "reagir com serenidade" aos sintomas.

 

O chefe de Estado prometeu vacinar-se em breve contra a gripe, "para começar bem o ano", apesar de não ter receios de infecção. "Se eu tivesse receio, não beijava tanto as senhoras", afirmou, numa resposta a uma pergunta dos jornalistas.

 

Durante a visita ao centro de saúde, Marcelo Rebelo de Sousa distribuiu votos de "bom trabalho" a médicos e enfermeiros e de "bom ano" aos utentes.

 

"Bom ano (...) para chegar aos 108", atirou, em brincadeira, a uma idosa, de 88 anos, que aguardava a sua vez na sala de espera. À chegada, enquanto cumprimentava utentes, o Presidente da República perguntou-lhes, insistentemente: "Gripe? gripe?". 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 31.12.2016

GRANDE CABRAO:enquanto um 100 abrigo cura uma gripe enfiado numa cx de papelao debaixo duma ponte,o ORCA APASSARADO com grip d aves esta no hospital desde o dia 13 .O heronico da democracia,dizem:sera q nao pode acabar em casa em vez de estar ocupar lugares que fazem falta a pessoas de maior relevo.

Anónimo 30.12.2016

Se nao aparecerem doentes,faz-se ele de doente so para aparecer em cena,o tipo nao difrencia mesmo o que e adulto,foda-se la p cachopo.Nem os netos o trazem por casa.Quando olho para traz pasmo-me por o nao ter visto de mangueira na mao apagar incendios,e q la os jornalistas eram aos rodos.ACELARADO