Banca & Finanças Marcelo recebe Macedo e Vilar em Belém

Marcelo recebe Macedo e Vilar em Belém

O presidente da administração da Caixa Geral de Depósitos, Rui Vilar, e o presidente da comissão executiva, Paulo Macedo, pediram audiência ao Presidente da República. Marcelo aceitou.
Marcelo recebe Macedo e Vilar em Belém
Rui Ochoa/Presidência da República
Diogo Cavaleiro 01 de fevereiro de 2017 às 21:48

Para o primeiro dia na Caixa Geral de Depósitos, Paulo Macedo pediu, juntamente com o presidente da administração, Rui Vilar, uma audiência ao Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa aceitou.

 

"O Presidente da República recebeu esta tarde o presidente e o presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos, que lhe tinham pedido audiência neste primeiro dia de mandato", indica uma nota colocada no site da Presidência.

 

Não é descrita a audiência que teve lugar, mas o comunicado assinala que o "Presidente da República desejou ao Dr. Rui Vilar e ao Dr. Paulo Macedo felicidades no exercício das novas funções". Foi hoje que começou em funções a nova equipa de gestão da CGD, ainda que sem Maria João Carioca, com uma mensagem dos líderes do banco aos trabalhadores. "Se falharmos, dificilmente nos será dada outra oportunidade".

 
"O segundo vinho é o melhor", dissera, em Dezembro, num encontro com jornalistas estrangeiros, o Presidente da República quando já se sabia que Paulo Macedo iria substituir António Domingues na presidência da CGD, depois da polémica da entrega das declarações de rendimentos e de património no Tribunal Constitucional.

 

A 9 de Novembro, Marcelo também tinha chamado Domingues, ainda em funções, a Belém, por conta da controvérsia que, então, estava a decorrer – naquele dia, o Palácio Ratton notificara a gestão da CGD a entregar as declarações, o que Domingues não queria fazer. Foi cinco dias depois de o próprio Chefe de Estado ter dito que era ao Constitucional que competia decidir sobre o tema.

 


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub