Política Marcelo reúne-se com partidos depois das autárquicas

Marcelo reúne-se com partidos depois das autárquicas

O Presidente da República marcou reuniões com os partidos para os dias 2 e 3 de Outubro.
Marcelo reúne-se com partidos depois das autárquicas
Cofina Media
Marta Moitinho Oliveira 26 de setembro de 2017 às 11:41

O Presidente da República reúne-se na próxima semana com os partidos políticos, logo a seguir às eleições autárquicas e antes da entrega do Orçamento do Estado no Parlamento, informou a Presidência através de uma nota publicada no site. 

"Terminado que estará o período eleitoral e antes da apresentação da proposta de Orçamento do Estado para 2018, o Presidente da República retoma no início da próxima semana, dias 2 e 3 de Outubro, as habituais reuniões com os partidos políticos representados na Assembleia da República", lê-se na nota.

Os encontros, que são apresentados como "habituais", acontecem logo após as autárquicas marcadas para 1 de Outubro. Já a entrega do Orçamento do Estado para 2018 no Parlamento está prevista para 13 de Outubro. 

A última vez que Marcelo Rebelo de Sousa esteve reunido com os partidos com assento parlamentar foi a 17 de 18 de Abril, por altura do envio por parte do Governo do Programa de Estabilidade para Bruxelas. 

À saída desses encontros, vários líderes partidários fizeram declarações relacionadas com o Orçamento do Estado para 2018. Catarina Martins, do Bloco de Esquerda, admitiu fasear a revisão dos escalões do IRS mas assinalou que a promessa tem de ser cumprida até 2019, quando termina a legislatura. Já o secretário-geral do PCP considerou que a revisão faseada do IRS é um "objectivo pouco ambicioso". 

Este é um dos temas que mais tem dominado as negociações do Orçamento do Estado para 2018 e onde ainda não há acordo. Esta segunda-feira, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, e Bloco de Esquerda deviam ter-se reunido para continuar a limar arestas no IRS com vista ao acordo, mas ao que o Negócios apurou o encontro não aconteceu tendo sido adiado para quinta-feira.

Durante as reuniões que aconteceram em Belém em Abril, o Presidente da República mostrou-se descansado quanto ao impacto que as metas do Programa de Estabilidade poderiam ter para a geringonça. "Não será por estes documentos que haverá qualquer problema no relacionamento de Portugal e da União Europeia. (...) Há em Portugal uma área de poder coesa e oposições aguerridas."

Os encontros marcados para 2 e 3 de Outubro acontecem também depois das eleições para o poder local e numa altura em que voltam a surgir notícias sobre disputas de liderança no PSD.     

  

(Notícia actualizada)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 3 semanas

Como por E-mail pode haver fugas de informacao,e os jornalistas sao como ratos,nao como os do largo.Ele quer entrega a mao o caderno com os paises la apontados que ainda vai visitar este ano.La diz o ditado: quem ve caras nao ve coracoes.Na campanha parecia q nao partia um prato,perigoso este selfie

Lopes Há 3 semanas

http://expresso.sapo.pt/autarquicas2017/2017-09-26-Que-PSD-e-este-que-perdeu-o-sentido-de-Estado--pergunta-Antonio-Costa

Tal é a lata do artista, com Pedrogão e Tancos nos sapatos e fala como se andasse de chinelos.

pub