Política Marcelo tira ‘selfies’ com empresários de diversões e promete analisar situação 

Marcelo tira ‘selfies’ com empresários de diversões e promete analisar situação 

Junto dos empresários e trabalhadores do sector, o Presidente da República ouviu os problemas que afectam estes profissionais e deixou a promessa de que vai "ver o que é possível" fazer.
Marcelo tira ‘selfies’ com empresários de diversões e promete analisar situação 
Miguel Baltazar
Lusa 10 de dezembro de 2016 às 17:42

O Presidente da República, à chegada a Coimbra para discursar numa convenção, ouviu os problemas dos empresários de diversões itinerantes que protestam desde manhã, fez perguntas, tirou ‘selfies' e deixou a promessa de analisar a situação.

Marcelo Rebelo de Sousa, que discursa na convenção que assinala os 40 anos do poder local, decidiu dirigir-se aos empresários que protestam desde manhã junto ao Convento São Francisco, onde se realiza o evento dedicado aos autarcas.


Junto dos empresários e trabalhadores do setor, o Presidente da República ouviu os problemas que afetam estes profissionais e deixou a promessa de que vai "ver o que é possível" fazer.


"Ninguém tem alvará ‘Ó meu Deus’", reagiu Marcelo, depois de o presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Diversões, Luís Paulo Fernandes, lhe ter explicado que antes "os carrosséis precisavam de alvará", defendendo a existência de um alvará, "à semelhança dos táxis, para haver concorrência leal".


O Presidente da República recordou também a resolução aprovada por unanimidade no parlamento em 2013 - e que Luís Paulo Fernandes mostrou ao chefe de Estado -, que recomendava ao Governo o estudo e a tomada de medidas específicas de apoio à sustentabilidade e valorização da atividade das empresas itinerantes de diversão.


O presidente da APED encarou a presença de Marcelo Rebelo de Sousa como um "amável gesto", ficando "esperançado" que o Presidente da República "apele aos deputados".


"[Os empresários] precisam de saber se continuam ou se desistem", referiu, sublinhando que, face ao breve encontro de minutos com o chefe de Estado, a APED vai pedir para que sejam abertos os equipamentos de diversão itinerante instalados na Região Autónoma da Madeira, que se encontravam encerrados em protesto durante o dia de hoje.


Apesar da esperança assinalada por Luís Paulo Fernandes, Marcelo Rebelo de Sousa pouco falou no encontro, optando por fazer perguntas e ouvir os anseios dos profissionais deste setor, antes de se dirigir para dentro do Convento São Francisco, com os manifestantes a cantarem "Marcelo, amigo, os itinerantes estão contigo".


Hoje de manhã, o presidente da APED apelou também junto do primeiro-ministro, António Costa, para uma resolução urgente dos problemas que afectam o sector.


O presidente da APED sublinha que é urgente garantir a sustentabilidade do setor, tendo "receio de que os operadores que se mantenham não consigam fazer a manutenção efectiva dos equipamentos".


"Antigamente ganhava-se e trabalhava-se. Hoje, não se trabalha, nem se ganha", frisa Manuel Silva, de 65 anos, que tem um equipamento de divertimento infantil e que está na atividade há 50 anos.


Os empresários de diversões reclamam do Governo, entre outros pontos, a descida da taxa máxima do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) que têm de suportar e cujo aumento "magistral" em 2011, de 06% para 23%, "acabou com a percentagem de lucro", segundo a APED.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz 11.12.2016

A COMUNICAÇÃO SOCIAL ESTÁ PELAS RUAS DA AMARGURA......

SÓ SE SAFA A RTP.... POR QUANTO TEMPO?????

Onde iremos parar, só conversa para boi dormir 11.12.2016

Eu gostava de saber se tirar selfies e dar beijinhos, resolve algum problema do país,pode adormecer, mas os problemas, mantém-se . O governo é a mesma coisa, muita conversa, chutar as responsabilidades para os outros, mas a divida, continua a aumentar e o crescimento é inferior ao do ano passado

Anónimo 10.12.2016

O monhé e o marcelo parecem o sr.contente e o senhor feliz... e lá andam eles a caminho duma bancarrota a tirar selfies e a iludir o Povo....