Finanças Públicas Marcelo espera que Tribunal de Contas actue "sem complacências"

Marcelo espera que Tribunal de Contas actue "sem complacências"

O Presidente da República afirmou hoje, após dar posse a Vítor Caldeira como novo presidente do Tribunal de Contas, que espera deste órgão uma actuação "sem complacências" face a todos os que prevaricam.
Marcelo espera que Tribunal de Contas actue "sem complacências"
Bruno Simão/Negócios
Lusa 03 de Outubro de 2016 às 13:25

"Que todos quantos prevaricam, entidades ou pessoas, sintam que a legalidade é para respeitar, sem complacências ou hesitações", declarou o chefe de Estado, pedindo, contudo, "que se não generalize o que não pode nem deve ser generalizado, apoucando ou menorizando uma Administração Pública que merece ser respeitada e acalentada".

 

Na sua intervenção, na Sala dos Embaixadores do Palácio de Belém, em Lisboa, o Presidente da República manifestou-se convicto de que Vítor Caldeira irá exercer funções "olhando para ajustamentos legislativos, melhoramentos funcionais e reforços de meios determinados pela magnitude da missão" do Tribunal de Contas.

Marcelo Rebelo de Sousa referiu-se ao Tribunal de Contas como um órgão de "prestígio inquestionável", com "uma história de isenção e competência" e aconselhou Vítor Caldeira a preparar-se para um escrutínio diário.

 

O chefe de Estado disse que "as acções reais ou alegadas e as omissões" do Tribunal de Contas são alvo de "atenção constante e amiúde exigentíssima".

 

Dirigindo-se para Vítor Caldeira, acrescentou: "Não vai ter um dia em que o modo como o Tribunal de Contas escrutina a Administração Pública não seja ele próprio escrutinado por toda a sociedade portuguesa".

 

Por sua vez, Vítor Caldeira falou da sua experiência no Tribunal de Contas da União Europeia, ao qual presidiu durante quase nove anos, e prometeu aplicá-la ao serviço das suas novas funções nesta "prestigiada instituição secular" portuguesa.

 

Vítor Caldeira substitui como presidente do Tribunal de Contas Guilherme d'Oliveira Martins, que em Outubro do ano passado pediu a exoneração deste cargo para assumir a administração executiva da Fundação Calouste Gulbenkian, e que assistiu a esta cerimónia.

 

Guilherme d'Oliveira Martins foi elogiado pelo seu sucessor e pelo Presidente da República, que lhe agradeceu o "desempenho longo, excepcionalmente competente, dedicado e isento, testemunhando ainda de modo eloquente o que é servir a pátria com desapego e rectidão".

 

Estiveram também presentes nesta cerimónia, entre outros, o presidente da Assembleia da República, os presidentes do Supremo Tribunal de Justiça e do Supremo Tribunal Administrativo e os ministros dos Negócios Estrangeiros, da Presidência, das Finanças, da Justiça, Adjunto e do Trabalho.

 




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 03.10.2016


PS ROUBA A VIDA A 500.000 TRABALHADORES

FP – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES DO PRIVADO

OS FP DEVEM ESTAR MOTIVADOS APENAS POR TER EMPREGO!

Pois estão bem melhor do que as vítimas do SOCRATES GATUNO que endividou o país até à bancarrota, para pagar salários e pensões da FP…

Lançando 500.000 trabalhadores no desemprego!

comentários mais recentes
Anónimo 03.10.2016

Era bom que o PR em vez de continuar a sonhar lê-se mais isto , e se lembrasse que o PSD não é muleta da sua giringonça .http://observador.pt/2016/09/07/ft-governo-trabalha-para-os-votos-nao-para-reformar-o-pais/ quem diz iisto é o Financial Times não foi o Passos

Anónimo 03.10.2016

Apoio o que disse o Mr.Tuga das 16,12 e aumento ao dizer que estes treze chinos(tc) quando desenterram o morto para o atopsear ja nao resta nada dele,apenas arrelias para os familiares e amigos.Quanto menos fazem,menos querem fazer.

Anónimo 03.10.2016


A MALTA DA ESQUERDA É COMPOSTA POR DOIS GRUPOS:

1 - Os LADRÕES (Inclui os FP e seus pensionistas): que andam a encher os bolsos à custa dos portugueses;

2 - Os BURROS: que ajudam os anteriores a roubar o povo, em nome da ideologia.

Mr.Tuga 03.10.2016

Ó homem, mas afinal o TC serve para quê?!? Para informar que a guita do contribuinte é mal e porcamente gasta?! Para isso não precisamos de TC com crânios e elite bem remunerada!

ver mais comentários
pub