Política Maria Luís Albuquerque acusa Costa de incompetência e de repetir mentiras

Maria Luís Albuquerque acusa Costa de incompetência e de repetir mentiras

A ex-ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, acusou hoje António Costa de incompetência sobre a Caixa Geral de Depósitos acrescentando que na entrevista à RTP o primeiro-ministro repetiu mentiras.
Maria Luís Albuquerque acusa Costa de incompetência e de repetir mentiras
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 06 de dezembro de 2016 às 13:33

"Até agora só temos conversa. António Costa tenta desviar as atenções sobre a sua incompetência repetindo acusações falsas de uma forma irresponsável por, aparentemente, não perceber que, mais do que o anterior governo, atinge com acusações de comportamentos impróprios as entidades nacionais e europeias", disse Maria Luís Albuquerque.

 

Numa declaração aos jornalistas, na sede nacional do PSD, em Lisboa, Maria Luís Albuquerque reagia à entrevista do primeiro-ministro, segunda-feira, à RTP em que, acusou Costa de repetir mentiras, "certamente na convicção de que uma mentira repetida muitas vezes passa a ser verdade".

 

Para a ex-ministra do governo PSD/PP, na entrevista, António Costa voltou a dizer que o anterior Executivo (PSD/PP) ocultou a verdadeira situação do sector financeiro, incluindo da Caixa Geral de Depósitos (CGD), para poder assegurar a saída limpa do Programa de Ajustamento.

 

"Ao fazer uma acusação desta gravidade - mesmo que falsa - António Costa não põe apenas em causa o anterior governo. Coloca uma mancha sobre a seriedade e competência da anterior administração da CGD", afirmou.

 

Maria Luís Albuquerque disse também que António Costa, além de ter colocado em causa os reguladores, - desde o Banco de Portugal, à CMVM e ao Banco Central Europeu -, comprometeu também os auditores "em quem diz agora depositar confiança" para apurar os montantes da próxima operação de recapitalização da CGD.

 

A ex-ministra recordou ainda que quando o anterior governo (PSD/PP) entrou em funções encontrou o sistema financeiro, com "gravíssimos problemas como seria inevitável num país à beira da banca rota" deixado pelo governo socialista de José Sócrates, de que, acrescentou, António Costa também fez parte.

 

Ainda sobre a CGD, Maria Luís Albuquerque, frisou que o governo de António Costa nada fez e que se desconhece o que pretende fazer.

 

"Este governo está em funções há um ano e até agora não fez nada. Continuamos sem saber quanto dinheiro dos contribuintes vai ser colocado na CGD, quais são as consequências para a actividade do banco, para os seus trabalhadores e para que servirá a injecção de dinheiro público e privado que se perspectiva", concluiu.




A sua opinião24
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 07.12.2016

Quem não tem vergonha é os politicos da aérea da corrupção, da pedofilia, da ladruagem44, dos robalos, etc.

Não tens um pingo de vergonha na tromba 06.12.2016

Ética é, para esta intrujona, palavra que não existe nos dicionários que usa.

Anónimo 06.12.2016

O referido pela Maria Luis Albuquerque é por demais evidente. O sr. Primeiro Ministro não tem a noção do que disse, é ligeiro e falacioso na forma, no conteudo e na postura. Os entrevistadores fizeram as perguntas correctas de diversos angulos, ficou patente a sua impreparação mesmo para mentir.

Desanimado 06.12.2016

Esta lambisgóia não tem um pingo de vergonha!!!

ver mais comentários
pub