Política Maria Luís Albuquerque acusa Costa de incompetência e de repetir mentiras

Maria Luís Albuquerque acusa Costa de incompetência e de repetir mentiras

A ex-ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, acusou hoje António Costa de incompetência sobre a Caixa Geral de Depósitos acrescentando que na entrevista à RTP o primeiro-ministro repetiu mentiras.
Maria Luís Albuquerque acusa Costa de incompetência e de repetir mentiras
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 06 de Dezembro de 2016 às 13:33

"Até agora só temos conversa. António Costa tenta desviar as atenções sobre a sua incompetência repetindo acusações falsas de uma forma irresponsável por, aparentemente, não perceber que, mais do que o anterior governo, atinge com acusações de comportamentos impróprios as entidades nacionais e europeias", disse Maria Luís Albuquerque.

 

Numa declaração aos jornalistas, na sede nacional do PSD, em Lisboa, Maria Luís Albuquerque reagia à entrevista do primeiro-ministro, segunda-feira, à RTP em que, acusou Costa de repetir mentiras, "certamente na convicção de que uma mentira repetida muitas vezes passa a ser verdade".

 

Para a ex-ministra do governo PSD/PP, na entrevista, António Costa voltou a dizer que o anterior Executivo (PSD/PP) ocultou a verdadeira situação do sector financeiro, incluindo da Caixa Geral de Depósitos (CGD), para poder assegurar a saída limpa do Programa de Ajustamento.

 

"Ao fazer uma acusação desta gravidade - mesmo que falsa - António Costa não põe apenas em causa o anterior governo. Coloca uma mancha sobre a seriedade e competência da anterior administração da CGD", afirmou.

 

Maria Luís Albuquerque disse também que António Costa, além de ter colocado em causa os reguladores, - desde o Banco de Portugal, à CMVM e ao Banco Central Europeu -, comprometeu também os auditores "em quem diz agora depositar confiança" para apurar os montantes da próxima operação de recapitalização da CGD.

 

A ex-ministra recordou ainda que quando o anterior governo (PSD/PP) entrou em funções encontrou o sistema financeiro, com "gravíssimos problemas como seria inevitável num país à beira da banca rota" deixado pelo governo socialista de José Sócrates, de que, acrescentou, António Costa também fez parte.

 

Ainda sobre a CGD, Maria Luís Albuquerque, frisou que o governo de António Costa nada fez e que se desconhece o que pretende fazer.

 

"Este governo está em funções há um ano e até agora não fez nada. Continuamos sem saber quanto dinheiro dos contribuintes vai ser colocado na CGD, quais são as consequências para a actividade do banco, para os seus trabalhadores e para que servirá a injecção de dinheiro público e privado que se perspectiva", concluiu.




A sua opinião24
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Quem não tem vergonha é os politicos da aérea da corrupção, da pedofilia, da ladruagem44, dos robalos, etc.

Não tens um pingo de vergonha na tromba Há 1 semana

Ética é, para esta intrujona, palavra que não existe nos dicionários que usa.

Anónimo Há 1 semana

O referido pela Maria Luis Albuquerque é por demais evidente. O sr. Primeiro Ministro não tem a noção do que disse, é ligeiro e falacioso na forma, no conteudo e na postura. Os entrevistadores fizeram as perguntas correctas de diversos angulos, ficou patente a sua impreparação mesmo para mentir.

Desanimado Há 1 semana

Esta lambisgóia não tem um pingo de vergonha!!!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub