Orçamento do Estado Maria Luís Albuquerque diz que é "vergonhoso" não aumentar pensões mínimas

Maria Luís Albuquerque diz que é "vergonhoso" não aumentar pensões mínimas

"A tentativa de ilusão é muito evidente no Orçamento", atira a antiga ministra das Finanças. Após a comissão política permanente, Maria Luís Albuquerque fala num Orçamento de "curto prazo" apenas para "sobrevivência política".
Maria Luís Albuquerque diz que é "vergonhoso" não aumentar pensões mínimas
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 18 de Outubro de 2016 às 13:06

Maria Luís Albuquerque defende que o facto de não haver subida nas pensões mais baixas no próximo ano é "vergonhoso". Segundo a secretária de Estado e ministra das Finanças entre 2011 e 2015, a "injustiça social" é uma "marca" da proposta de Orçamento do Estado apresentada na sexta-feira passada pelo Governo de António Costa. 

 

As propostas contidas no Orçamento do Estado para 2017 "afectam muito mais aqueles que são pobres". "Há algumas opções que não se compreendem", argumenta a antiga governante, acrescentando que "é absolutamente incompreensível" "a opção política de não fazer um aumento extraordinário" nas pensões mais baixas. "Vergonhoso", disse mesmo.

 

Em conferência de imprensa transmitida pela RTP 3, após a comissão política permanente do Partido Social Democrata, Maria Luís Albuquerque acrescentou que é ainda mais "incompreensível" tendo em conta que a Contribuição Extraordinária de Solidariedade, que se aplica a pensões acima de 4.611 euros, vai desaparecer. A ex-ministra criticou também o facto de essa proposta vir de partidos que "dizem ter uma sensibilidade social" que não atribuem ao PSD.

 

A ministra referia-se ao facto de as pensões mais baixas, que foram alvo de subidas no Governo de Passos Coelho, não terem um aumento extraordinário contemplado para o próximo ano, como outras pensões acima de 275 e até 838 euros, ainda que o Executivo já tenha dito que haverá um conjunto de 250 mil pensões abaixo de 275 euros por mês que vão beneficiar de um ganho extraordinário.


"É um Governo que não dá aumentos extraordinários a pensões de 200 euros mas retira a CES a pensões de 5 a 6 mil euros por mês", continuou a governante.

 

Na conferência de imprensa, Maria Luís Albuquerque também lançou farpas ao facto de o Governo não ter cumprido a promessa eleitoral de retirar a sobretaxa de IRS no início de 2017 e apenas de forma gradual ao longo do ano. A ministra defende que o corte na sobretaxa é "reduzido", "nalguns casos com mais pressão noutros de forma pouco sensível". O Executivo anterior PSD/CDS previa a retirada da sobretaxa em 2019.

 

OE contém "reconhecimento de que modelo económico falhou"

 

Em suma, a deputada do PSD defende que o "ponto de partida para o ano de 2017 é, em si mesmo, uma ficção que afecta a credibilidade do exercício orçamental". Aliás, para Maria Luís Albuquerque, há "um reconhecimento de que o modelo económico falhou em 2016 e há esse reconhecimento nas perspectivas para 2017". O OE prevê um crescimento do PIB de 1,2% este ano e 1,5% no próximo. 

 

"Aquela que é, essencialmente, a nossa preocupação é que este Orçamento é de curto prazo. De curtíssimo prazo", criticou a antiga responsável pela pasta das Finanças, dizendo que se destina apenas "a cumprir o objectivo de sobrevivência política" da actual estrutura governativa.

"A tentativa de ilusão é muito evidente no Orçamento", atira a antiga ministra: "A ilusão de que os rendimentos estão a ser devolvidos a ilusão, de quem observa de fora, que há prudência orçamental".

 

PSD ainda não sabe se contribui para OE

 

Tal como aconteceu no ano passado, Maria Luís Albuquerque deixou em aberto a possibilidade de o PSD não dar quaisquer contributos no debate parlamentar na especialidade para o Orçamento do Estado para o próximo ano.

 

"Ainda estamos a analisar o Orçamento em mais detalhe", justificou a ex-governante, adiantando que a questão ainda vai ser discutida com a comissão política e com o grupo parlamentar. 




A sua opinião78
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado NunesSantos Há 3 semanas

Vergonhoso é o que esta professora (que se não desse aulas ao incompetente do Passos nunca seria Ministra. assim como nunca faria parte do seu Governo) fez ao Zé Povinho quando foi Ministra das Finanças e depois de sair do mesmo se aproveitou para arranjar um tacho MILIONÁRIO...
Tenha vergonha na cara que pelos vistos não sabe o que isso é...

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas


Um governo de ladrões

PS . BE . PCP - são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos FP & CGA.


Anónimo Há 2 semanas


Por favor deixe governar quem sabe, o sr, já disse que não quer apresentar alternativas ao orçamento 2017, como tal cale-se e desapareça...

porque os portugueses QUE QUEREM VIVER À CUSTA DOS OUTROS, não gostam de si.

Anónimo Há 3 semanas

ESTA MENTIROSA, E SEM VERGONHA N SE LEMBRA Q SE PREPARAVA PARA CORTAR MAIS 600 MILHÕES DE EUROS NAS REFORMAS? OS PORTUGUESES N T MEMÓRIA TÃO CURTA C ELA PENSA.TAMBÉM N NOS ESQUECEMOS DO MARIDO AMEAÇAR JORNALISTAS. S P ISSO Q CERTA CS DÁ OUVIDOS ESTA ESCROQUE?

Anónimo Há 3 semanas

Maria Luís Albuquerque diz que é "vergonhoso" não aumentar pensões mínimas

E A OBRA QUE A MENINA FEZ, NÃO É VERGONHOSA?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub