Política Maria Luís Albuquerque: Orçamento assenta em aumento de impostos e reforça injustiça social

Maria Luís Albuquerque: Orçamento assenta em aumento de impostos e reforça injustiça social

No entender da antiga responsável pela pasta das Finanças no Governo PSD-CDS, o Orçamento do Estado do Executivo socialista vai prejudicar a poupança e o investimento, e acabará por agravar a "injustiça social".
Maria Luís Albuquerque: Orçamento assenta em aumento de impostos e reforça injustiça social
Bruno Simão/Negócios
Lusa 15 de Outubro de 2016 às 14:37
A ex-ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, actualmente deputada e dirigente do PSD, considerou este sábado, 15 de Outubro, que a proposta de Orçamento do Estado para 2017 "assenta muitíssimo num aumento de impostos generalizado", afastando a poupança e o investimento e aumentando a "injustiça social".

"Este Orçamento assenta muitíssimo num aumento de impostos generalizado, sobre uma série de matérias, que passa uma mensagem completamente errada para quem queira poupar ou investir neste país porque reforça uma enorme instabilidade fiscal", disse a antiga ministra das Finanças, que ocupou a pasta até 2015, no anterior governo PSD-CDS.

Para Maria Luís Albuquerque, o Executivo socialista de António Costa vai "tirar a muitos", "para dar relativamente pouco a alguns", o que "reforça a injustiça social e as desigualdades".

"No essencial é um OE que mostra que não há uma estratégia para o país, que está focado numa estratégia de curto prazo, na sobrevivência política do Governo e que desistiu até daquilo que dizia que era capaz de fazer, que era fazer crescer a economia", realçou a vice-presidente do PSD, que falava à margem de uma visita à Feira dos Gorazes de Mogadouro.

A antiga responsável pela pasta das Finanças considerou que "o reforço dos impostos indirectos [previsto no OE para 2017] incide sobre todos da mesma forma, sobre a classe média e sobre os mais pobres, e agrava a injustiça social".

"Vemos que mesmo o aumento nas pensões deixa de fora as pensões mais baixas, que como foram actualizadas ao longo dos anos mais difíceis agora parece que não têm direito a mais nada. Diz-se a uma pessoa que tem uma pensão até 275 euros que não tem direito a aumentos extraordinários porque já teve aumentos no passado", criticou.

A vice-presidente do PSD considera que "o maior vício" do OE para 2017 é que "não resolve nenhum problema estrutural [do país]", "não dá nenhum fôlego e nenhuma opção de futuro" e "agrava as desigualdades e a injustiça social".

"Não dá qualquer perspectiva de melhoria. A única coisa que se pode esperar é que um futuro orçamento seja ainda pior do que este, porque continua a apostar num caminho que já demonstrou em 2016 que é errado. Já vimos que isto não é capaz de produzir aumento de riqueza para os portugueses", apontou a dirigente social-democrata.

Maria Luís Albuquerque recordou ainda que o actual governo PS tinha, originalmente, uma previsão de crescimento para 2017 de 3,1 por cento.

"Agora fala-se em menos de metade. E vamos ver se mesmo assim é possível alcançar isso com estas medidas, que não são, de todo, animadoras", sublinhou.

O Governo apresentou na sexta-feira a proposta de Orçamento do Estado de 2017 que prevê um crescimento económico de 1,5%, um défice de 1,6% do PIB, uma inflação de 1,5% e uma taxa de desemprego de 10,3%.

Para este ano, o executivo liderado por António Costa piorou as estimativas, esperando agora um crescimento económico de 1,2% e um défice orçamental de 2,4% do PIB.



A sua opinião56
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado anedota Há 3 semanas

ainda não entendi o que se passa no psd, será que as garrafas de água têm realmente água dentro ou será outra substancia???
será só descaramento e falta de vergonha, ou estão a querer passar um atestado de estupidez aos Portugueses?
Felizmente em Portugal os eleitores estão a deixar de ver os Partidos políticos como clubes de futebol, se não estamos bem mudamos de partido, tão simples quanto isto. Escolhemos o mal menor, porque bons não há!

comentários mais recentes
Marcolino Há 3 semanas

Sou PSD, mas com Passos, Esta tipa e Marcos Antónios,,,nunca mais serão Poder

pertinaz Há 3 semanas

CARREGA MARIA LUÍS !!!

TENS-NOS NO SÍTIO

AO CONTRÁRIO DA ESQUERDALHA PIDESCA ESTALINISTA QUE POR AÍ ANDA

VAMOS A CAMINHO DO ABISMO

28Outubro Há 3 semanas

Alguma vez esta Sra. se preocupou com a injustiça social, quando foi ministra das finanças. Cambada sem vergonha...

joao Há 3 semanas

tem VERGONHA! aumentos de quê? estás a ver-te ao espelho? faz criticas mas criticas a sérios não mentiras à PAF que a gente já não suporta

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub