Economia Marsh: Risco político e económico de Portugal reflete desemprego e Governo minoritário

Marsh: Risco político e económico de Portugal reflete desemprego e Governo minoritário

A consultora Marsh considerou hoje que Portugal apresenta um risco político e económico que reflecte a "elevada taxa de desemprego" e o "clima de instabilidade" por ter um Governo minoritário.
Marsh: Risco político e económico de Portugal reflete desemprego e Governo minoritário
Miguel Baltazar
Lusa 08 de fevereiro de 2017 às 15:16

De acordo com o mapa de risco - que conjuga indicadores políticos, económicos e operacionais - divulgado hoje pela Marsh, Portugal reúne 68,5 pontos numa escala que vai até 100, em que a pontuação mais baixa representa risco elevado e a mais alta risco reduzido.

 

Portugal aparece no mesmo intervalo de países como Espanha, Itália, Croácia, Hungria, Roménia, Bulgária e Peru, Uruguai, Arábia Saudita, Índia e China fora da Europa.

 

Em comunicado, a multinacional especializada em corretagem de seguros e consultoria de risco afirma que o mapa revela que a pontuação de risco de Portugal "pode deteriorar-se ainda mais, caso haja sinais emergentes de desentendimento entre os três partidos que constituem o Governo".

 

Além disso, indica que o principal risco é o de que a "ideologia económica populista continue a entrar em conflito com a realidade de que o alto endividamento do país e que a adesão da zona euro limitam a flexibilidade política do Governo".

 

"Também o aumento da despesa resultaria num alargamento do défice orçamental de Portugal, prejudicando assim a confiança dos investidores na capacidade do país em pagar a sua dívida, resultando num novo aumento dos seus custos com empréstimos", esclarece a seguradora.

 

O Mapa de Risco 2017, baseado em dados da BMI Research, fonte independente de análise de risco político, macroeconómico, financeiro e sectorial, referentes a mais de 200 países e territórios.

 

A Marsh refere o aparecimento de partidos anti-sistema, que colocam as suas nações em primeiro lugar na Europa, a queda dos preços dos bens, os riscos de sucessão de liderança no país, o crescente proteccionismo, o terrorismo e as incertezas em economias emergentes estão a contribuir para aumentar o risco político e económico a nível global.

 

 


A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz 09.02.2017

AÍ QUE ATREVIMENTO DISCORDAR DO DESGOVERNO...!!!

Carrega Costa 08.02.2017

"A taxa de desemprego em 2016 caiu "

LOL 08.02.2017

Digam a essa parolada que o desemprego diminuiu LOLOLOLOLOLOLOL

ahahhahaah 08.02.2017

ás 8 da manhã estou a votar COSTA

ver mais comentários
pub