União Europeia May supera prova de fogo com aprovação do programa de governo no parlamento

May supera prova de fogo com aprovação do programa de governo no parlamento

O governo da primeira-ministra Theresa May teve de fazer uma concessão relativa ao direito ao aborto para as mulheres da Irlanda do Norte para garantir o "sim" ao programa de governo.
May supera prova de fogo com aprovação do programa de governo no parlamento
Reuters
Rita Faria 29 de junho de 2017 às 19:51

A primeira-ministra Theresa May garantiu esta quinta-feira, 29 de Junho, a aprovação do parlamento ao seu programa de governo, superando assim o primeiro grande teste desde que as eleições do início do mês deixaram o Partido Conservador sem maioria e forçaram a um acordo com os unionistas da Irlanda do Norte.

 

A sua agenda para os próximos dois anos, dominada pelo Brexit, foi aprovada na Câmara dos Comuns por 323 votos contra 309.

 

Os partidos da oposição propuseram alterações que testaram a disciplina dos apoiantes da primeira-ministra e o governo teve mesmo de fazer uma concessão no que respeita aos direitos à interrupção da gravidez - disponibilizando fundos para as mulheres da Irlanda do Norte que pretendam realizar abortos - para evitar a derrota. Outras emendas, relativas ao Brexit e às medidas de austeridade, foram rejeitadas.

 

O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, afirmou que o programa dos conservadores está "em farrapos" e que deveria ir ao encontro da vontade dos eleitores, que desejam o fim dos cortes no sector público.

 

"Theresa May não tem um mandato para cortes contínuos nas nossas escolas, hospitais, polícia e outros serviços públicos vitais. O Partido Trabalhista vai lutar contra essas políticas", garantiu Corbyn, num comunicado citado pela Reuters.

 

Os conservadores alcançaram, na segunda-feira, um acordo 'in extremis' com os unionistas do DUP, que, em contrapartida, conseguiram do governo a promessa de um financiamento de mil milhões de libras suplementares (cerca de 1,1 mil milhões de euros) a favor da Irlanda do Norte.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub