Indústria Mercado externo dita maior quebra da indústria em Outubro

Mercado externo dita maior quebra da indústria em Outubro

A indústria registou a primeira queda em três meses, em Outubro, num período marcado por uma descida acentuada das exportações do sector.
Mercado externo dita maior quebra da indústria em Outubro
Paulo Duarte
Negócios 09 de dezembro de 2016 às 12:34

A indústria registou uma queda de 3,1% do volume de negócios em Outubro, acima da descida de 4,1% registada em período homólogo, e após uma subida de 0,8% no mês anterior, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE) esta sexta-feira, 9 de Dezembro.

 

Os segmentos responsáveis pelos resultados foram o de bens de consumo duradouro, que caiu 7,2%, e o de bens intermédios, com uma descida de 4,4%. A energia é o único subsector que subiu em Outubro, com um aumento de 1,6%.

A contribuir para a quebra do volume de negócios na indústria esteve o mercado interno, como externo, com este último a observar um comportamento mais negativo. 

No mercado nacional, a indústria caiu 1% em Outubro, depois de uma estagnação no mês anterior. Para este resultado contribuíram os bens de consumo que, apesar de terem travado a queda, desceram 9,5%. Já a energia registou uma queda de 2,8%.

 

O mercado externo apresentou a maior queda, com um declínio de 5,6%. Com descidas em quase todos os subsectores, as quedas mais acentuadas registam-se nos bens de consumo duradouro (-10,4%), nos bens de investimento (-9,7%) e nos bens intermédios (-7,7). A energia sobe 22,8%, sendo o único subsector recuperação.



 

O INE avança que a indústria aumentou o emprego em 2% em Outubro, acima do crescimento de 1% registado em período homólogo. O indicador, no entanto, registou uma variação mensal nula. Este crescimento foi acompanhado de um aumento de 3,4% nas remunerações e uma queda de 1,6% nas horas de trabalho ajustadas a efeitos de calendário. Em período homólogo as remunerações subiram 2,9%, e as horas de trabalho ajustadas aumentaram 0,3%.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub