Zona Euro Merkel a favor de um ministro das Finanças e orçamento para a Zona Euro

Merkel a favor de um ministro das Finanças e orçamento para a Zona Euro

A chanceler alemã, Angela Merkel, manifestou hoje apoio à ideia de um ministro das Finanças e um orçamento comum para a Zona Euro, de "pequenas quantias", para ajudar países sem margem para gastos devido às regras europeias.
Merkel a favor de um ministro das Finanças e orçamento para a Zona Euro
Lusa 29 de agosto de 2017 às 13:27

Na tradicional conferência de imprensa de verão e apenas a quatro semanas das eleições gerais da Alemanha, a governante argumentou a favor da reconversão do fundo permanente de resgate num fundo monetário europeu e revelou estar a estudar com Paris a criação de um cargo de ministro das Finanças para a Zona Euro.

"Rapidamente posicionei-me a favor de um orçamento comum para o euro, mas não um com centenas de milhões, mas com pequenas quantias para começar. Para fazer reformas quando não há margem do PEC. Para apoiar", explicou.

Este orçamento teria como principal propósito "ajudar na fase das reformas", segundo Merkel, exemplificando com o caso de Espanha.

A governante apoiou para a Zona Euro, a proposta do seu ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, de converter o Mecanismo Europeu de Estabilidade, num instrumento semelhante ao Fundo Monetário Europeu.

Esta seria "uma importante reforma" que possibilitaria uma maior estabilidade e mostraria que a Europa tem "mecanismos na Zona Euro para superar bem as situações inesperadas".


À criação do cargo de ministro das Finanças para os países que utilizam o euro, Merkel afirmou não se opor ao conceito, até porque mantem conversas sobre as competências do novo cargo com o presidente francês, Emmanuel Macron.


Para a líder alemã, o mais interessante de um ministro da Economia e Finanças da Zona Euro era a promoção da competitividade e a capacidade para apoiar financeiramente certos países que apresentem planos de reforma.


A chanceler sublinhou que os dados macroeconómicos estão a melhorar na Zona Euro, que todos os países apresentam crescimento e que está a descer a taxas de desemprego, mas reconheceu que "não se ultrapassaram todos os problemas".

Quanto à Grécia, a alemã notou que a situação está a melhorar, mas evitou quaisquer prognósticos sobre mais um eventual resgate financeiro para o país que actualmente vive o seu terceiro.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Criador de Touros 29.08.2017

Concordo e assim haverá menos corrupção e mais fiscalização. Já tarda.

General Ciresp 29.08.2017

Secalhar e assim:vai o dinheiro inteirinho para mulheres e copos,e a receita da farmacia vai-se adiando ate encontrar dinheiro para ela como se a saude estivesse em segundo plano.Porque nao ir ao encontro dos sabios.Porque havemos toda a vida de pagar tanto dinheiro a tanto deputado da EU valor zero

Nuno 29.08.2017

Pois claro que quer. Tudo o que seja para esta senhora controlar, nem que seja o oxigénio.
LONGE DESTA GENTE!

Mr.Tuga 29.08.2017

E o tuga Centeiro está no top para a corrida.....

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub