Zona Euro Merkel e Schulz empatados em sondagem

Merkel e Schulz empatados em sondagem

A chanceler alemã recuou dois pontos percentuais em relação à última sondagem realizada. Schulz, que entrou na corrida esta semana, aparece com as mesmas intenções de voto que Merkel.
Merkel e Schulz empatados em sondagem
Reuters
Negócios com Reuters 26 de janeiro de 2017 às 10:30

A actual chanceler alemã e recandidata pelos democratas-cristãos da CDU às eleições de Setembro próximo no país surge empatada com o candidato dos social-democratas, Martin Schulz, nas mais recentes sondagens divulgadas esta quarta-feira, 25 de Janeiro.

Segundo a Reuters, que cita um inquérito da Infratest para a estação de televisão ARD realizado ontem, tanto Merkel como o anterior presidente do Parlamento Europeu recolhem 41% das intenções de voto, tendo a actual chanceler recuado dois pontos percentuais em relação às últimas entrevisas.

A mesma sondagem revela que a maioria dos alemães aprova a designação do antigo presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, como candidato social-democrata ao lugar de chanceler por considerá-lo um rival à altura de Angela Merkel. 64% dos alemães consideram acertada a decisão. 

 

Entre o universo dos militantes social-democratas, a percentagem de aprovação desta decisão sobe para os 81%.


O inquérito foi realizado um dia depois do anúncio da entrada de Schulz na corrida, depois de o vice-chanceler Sigmar Gabriel ter desistido de se candidatar pelos sociais-democratas do SPD.

O nome de Schulz vai ser oficialmente designado no próximo domingo. 

A chanceler Angela Merkel anunciou em Novembro a recandidatura a um quarto mandato como candidata da União Cristã-Democrata (CDU), de acordo com a Lusa.

 

O Presidente alemão, Joachim Gauch, confirmou entretanto que as próximas eleições gerais na Alemanha vão realizar-se a 24 de Setembro.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
}
pub