Energia Merkel incentiva Portugal e Espanha a investirem na energia solar

Merkel incentiva Portugal e Espanha a investirem na energia solar

A chanceler alemã, Angela Merkel, encorajou este sábado Portugal e Espanha a investirem mais na energia solar e frisou a necessidade de uma melhor ligação a França para dar um impulso a uma rede eléctrica europeia unificada.
Merkel incentiva Portugal e Espanha a investirem na energia solar
Bloomberg
Lusa 08 de abril de 2017 às 14:47

"A conexão entre França e Península Ibérica é um grande problema", disse Merkel, destacando que Portugal e Espanha "são, por exemplo, dois países, onde a energia solar poderia naturalmente ser reforçada".

 

O Governo de Merkel reforçou a aposta na energia eólica e solar, num momento em que o país se prepara para fechar as últimas unidades nucleares em 2022, transformando os mercados de energia do país.

 

A produção verde atingiu no ano passado 29% da procura de electricidade da Alemanha, aproximadamente o mesmo do que em 2015, mas ultrapassando largamente o nível de 11% registado na década anterior.

 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Claro, eles fazem os fotovoltaicos e o hardware de distribuição eléctrica. Portugal endivida-se para comprar o seu equipamento antes que aquele seja realmente eficiente e custo efectivo.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

As empresas alemãs do sector que invistam em unidades industriais e de I&D nesta área em território português. Depois falaremos em investimento português na energia solar. Claro que para tal investimento estrangeiro acontecer como aqui é sugerido, primeiro seria necessário flexibilizar o mercado laboral português e criar condições para existir um forte e moderno mercado de capitais em Portugal, ou seja, era preciso que as reformas e recomendações da troika UE-FMI e da própria OCDE, fossem postas em prática o quanto antes. Senão no final só ficamos com dívida pública e dívida privada para pagar não se sabe como.

Anónimo Há 2 semanas

Claro, eles fazem os fotovoltaicos e o hardware de distribuição eléctrica. Portugal endivida-se para comprar o seu equipamento antes que aquele seja realmente eficiente e custo efectivo.

pertinaz Há 2 semanas

O QUE MERKEL QUER DIZER É QUE OS ESTUPORES DOS FRANCESES SÃO UMA DAS ORIGENS DOS NOSSOS PROBLEMAS...!!!

SALAZAR Há 2 semanas

POIS É MERKEL. MAS TU TENS QUE VIR CÁ QUE É PARA ACABAR COM AS MAFIOZISES NESSA ÁREA QUE SÓ SERVEM PARA ENCHER OS BOLSOS DOS MESMOS DE SEMPRE. CÁ NÃO É EM PROL DO CIDADÃO, COMO NA ALEMANHA. ISSO É EM PAÍSES SÉRIOS. AQUI É PARA ENRIQUECER SÓ UNS à CUSTA DE TODOS.

pub