União Europeia Merkel nega acordo sobre localização de agências europeias. Decisão só em Novembro

Merkel nega acordo sobre localização de agências europeias. Decisão só em Novembro

À margem do Conselho Europeu que decorre em Bruxelas, a chanceler germânica garantiu não ter feito quaisquer "acordos concretos" acerca da transferência das duas agências europeias sediadas em Londres e que terão de ser relocalizadas devido ao Brexit. Líderes europeus atiram decisão final para Novembro.
Merkel nega acordo sobre localização de agências europeias. Decisão só em Novembro
Reuters
David Santiago 22 de junho de 2017 às 20:10

Berlim e Paris não estabeleceram qualquer acordo prévio para a transferência da Agência Europeia do Medicamento (AEM) para Lille e da Autoridade Bancária Europeia (EBA) para Frankfurt. A garantia foi dada esta quinta-feira, 22 de Junho, pela chanceler alemã, Angela Merkel, em declarações feitas nesta tarde à margem do Conselho Europeu que decorre hoje e amanhã, em Bruxelas.

 

"Não existe nenhum acordo franco-alemão sobre isso", atirou Merkel, citada pelo Politico, que, ainda assim, assumiu que esse foi um tema discutido antes do primeiro intervalo nas discussões que decorrem na capital belga.

 

A governante germânica adiantou que os líderes europeus se limitaram a discutir "os critérios e os procedimentos" relacionados com a relocalização daquelas duas agências europeias com sede em Londres. Contudo, "não há nenhuns acordos concretos" sobre a matéria, assegura a chanceler.

 

Antes das declarações feitas por Merkel, já a agência Reuters, citando fontes dos governos francês e alemão, tinha noticiado o desmentido de que tivesse sido alcançado qualquer acordo para a transferência da AEM e da EBA para uma cidade germânica e outra gaulesa, respectivamente.

 

A notícia sobre a ida da AEM para Lille e da EBA para Frankfurt foi inicialmente avançada pelo jornal alemão Wirtschaftswoche (WiWo), que referia a existência de um acordo entre Merkel e o presidente francês, Emmanuel Macron, para a transferência das agências europeias até aqui sediadas em Londres e que terão de abandonar o Reino Unido devido à saída britânica da União Europeia, que deve consumar-se até Março de 2019.

 

Os países-membros interessados em acolher uma ou ambas as agências têm de fazer chegar as respectivas candidaturas à Comissão Europeia até ao final do próximo mês de Julho, sendo que uma só chegará em Novembro, pese embora estivesse prevista para Outubro

O Politico, com base num documento a que teve acesso, adiantou ao início da noite desta quinta-feira que os líderes europeus reunidos em Bruxelas decidiram adiar a decisão final para o mês de Novembro por forma a garantir maior margem temporal para a discussão. Assim, os líderes europeus poderão discutir o tema na cimeira do Conselho Europeu prevista de Outubro. 

São mais de 20 os países que já demonstraram interesse em receber uma ou as duas agências, entre os quais Portugal que está interessado em ter a sede a AEM. No entanto, depois da polémica da semana passada não se sabe ainda se o Governo português vai candidatar apenas Lisboa ou se também vai apresentar uma candidatura com o Porto, isto depois de reaberto o processo de candidatura para incluir a cidade nortenha, sendo certo que o Executivo afiança que apresentará uma "candidatura excelente".

Apesar de países como a Alemanha e a França estarem apostados em candidatar-se a ambas as agências, a mais recente versão dos critérios que vão presidir à decisão estipulam que um Estado não poderá acolher as duas agências europeias. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump 22.06.2017

No fundo sao mentiras que nao doem,secalhar fizeram-no para ter mais venda.As mentiras da gerigoncas deixam marcas ierreparaveis,essas sao de cx a cova.

pub
pub
pub
pub