Política Miguel Pinto Luz desafia Rui Rio a rever moção que vai levar ao Congresso

Miguel Pinto Luz desafia Rui Rio a rever moção que vai levar ao Congresso

  O ex-líder do PSD/Lisboa Miguel Pinto Luz escreveu ao presidente eleito do partido desafiando-o a rever a sua moção, considerando que contém "omissões", e exigiu a Rui Rio uma vitória nas próximas legislativas.
Miguel Pinto Luz desafia Rui Rio a rever moção que vai levar ao Congresso
Miguel Baltazar
Lusa 05 de fevereiro de 2018 às 00:17

"Ao contrário do que alguns têm tentado afirmar publicamente, o mandato agora conquistado não lhe permite não vencer as próximas eleições legislativas. Pelo contrário, tem o dever de conduzir o partido à terceira vitória consecutiva nas eleições legislativas", refere Pinto Luz, na carta a que a Lusa teve acesso, com data de sexta-feira mas hoje anunciada pelo ex-líder do PSD Marques Mendes no seu comentário semanal na SIC.

 

No texto, Miguel Pinto Luz aponta omissões à moção que Rui Rio apresentou em Dezembro e que será votada no Congresso: "E essas omissões falam. Colocam-nos limites ao que podemos e não podemos fazer".

 

Como exemplos, o ex-líder da distrital de Lisboa do PSD considera que o mandato de Rio "não lhe permite viabilizar o orçamento do próximo ano", que vai ser aprovado em vésperas de eleições, tal como "não lhe permite estabelecer contactos ou encontros informais e discretos com a liderança do PS com o propósito de abordar a reedição do Bloco Central", considerando que tal seria interpretado pelos militantes "como deslealdade".

 

"O mandato agora conquistado também não permite que o processo de descentralização seja aproveitado para fazer uma regionalização administrativa e opaca", defendeu.

 

Finalmente, Pinto Luz considera que Rio não tem igualmente mandato para "abalar os pilares da política externa portuguesa construída com o determinante contributo do PSD".

 

"Bem sabemos que algumas vezes manifestou publicamente reservas à actuação de algumas instituições comunitárias. Contudo, essas mesmas manifestações pessoais não podem ser confundidas com o posicionamento estrutural do PSD em relação à Europa", alerta, considerando que "ao 'zig zag' do PS sobre a Europa, o PSD só pode responder com confiança e sentido de pertença" à União Europeia.

 

Salientando que as eleições europeias serão precisamente "o primeiro teste" do partido sob a sua liderança, Pinto Luz defendeu que "a escolha de um candidato vencedor só pode corresponder a um perfil europeísta que represente o legado de valores do PSD".

 

Assim, o antigo líder da distrital de Lisboa e actual vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais desafia Rui Rio, "se tiver outra leitura" sobre estas matérias, a apresentá-la inequivocamente no Congresso.

 

"Independentemente de outras considerações ou juízos, a moção apresentada na campanha merece uma revisão. Exige essa revisão (...) Rever a moção só enriquecerá o Congresso e a própria liderança", apela.

 




pub