Economia Milhares nas ruas em protesto com os incêndios que causaram quatro mortos em Espanha

Milhares nas ruas em protesto com os incêndios que causaram quatro mortos em Espanha

Milhares de pessoas concentraram-se hoje em vários municípios para protestar contra a gestão da Junta da Galiza, depois de incêndios florestais terem afetado a região e causado a morte de quatro pessoas, manifestando solidariedade com Portugal.
Milhares nas ruas em protesto com os incêndios que causaram quatro mortos em Espanha
Reuters
Lusa 16 de outubro de 2017 às 23:59
Em Santiago de Compostela, milhares de pessoas protestaram contra a política florestal da Junta da Galiza, numa iniciativa que contou com a presença de diversos lideres de partidos da oposição.

Os cânticos de protesto foram direccionados para o executivo, que foi considerado "incompetente" e que "um governo que improvisa é um terrorista", pedindo a demissão do presidente do executivo, Alberto Núñez Feijóo.

"Terreno rural abandonado é um incêndio assegurado", foi outras das frases ouvidas.

Em Vigo, cerca de 3.000 pessoas concentraram-se e entoaram cânticos também a pedir a demissão do presidente da Junta da Galiza, demonstrando solidariedade para com as Astúrias, Galiza e Portugal, que foram afectados pelos incêndios.

Em Ourense, mais de mil pessoas participaram numa manifestação junto da delegação territorial da junta, alertando para as consequências económicas e sociais que os incêndios têm, exigindo um "novo plano de protecção das montanhas" e mais meios técnicos e humanos para combater as ocorrências.

Durante a manifestação eram visíveis cartazes com frases como 'não há perdão' ou 'o nosso coração arde contigo'.

Em outras cidades da Galiza e em municípios de Pontevedra também foram realizadas concentrações de protesto, tal como em Madrid ou Barcelona.



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
A Igreja e a Política Revela-se Há 12 horas

Inédito a igreja e a Política Partidária, nunca visto tão descaramento, se calhar o Costa cortou aos Milhões de Euros que com o PSD e CDS nos eram Sacados, e iam para as Missões da Igreja, quanto maior for a Pobreza melhor estão estes Dirigentes da Igreja, Será que a Igreja já não tem Dirig Cristãos

Anónimo Há 1 dia

Por cá, com papas e bolos o sr Costa vai amansando os tolos !!!

Anónimo Há 1 dia

Só em Portugal é que ninguém sai à rua. Todos lamentam muito nas redes sociais, mas ninguém é capaz de vir para a rua protestar contra esta classe que não nos protege como cidadãos e irmãos. Que nos deixa morrer e que só não morremos mais por mera sorte. Neste último caso foi a chuva que nos salvou de uma tragédia maior deixando o fogo à porta das cidades.

Amado,Investidor Há 1 dia

PS e o PSD têm sido os dois partidos com maior representação na nossa forma de governar o país. Daí advieram as orientações para os investimentos em obras que todos podemos tocar : auto estradas, estádios de football , salas de espetáculos, material de guerra...opções validadas nas urnas...

Saber mais e Alertas
pub