Justiça Ministério Público confirma quatro arguidos no caso do Feirense-Rio Ave

Ministério Público confirma quatro arguidos no caso do Feirense-Rio Ave

O Ministério Público (MP) confirmou esta quinta-feira à agência Lusa a existência de quatro arguidos no âmbito da investigação ao encontro entre o Feirense e o Rio Ave, da I Liga portuguesa de futebol.
Ministério Público confirma quatro arguidos no caso do Feirense-Rio Ave
Reuters
Lusa 28 de dezembro de 2017 às 16:28
De acordo com o MP, em resposta a questões colocadas pela Lusa, "em causa estão suspeitas da prática do crime de corrupção na actividade desportiva".

"Este inquérito, instaurado no Ministério Público de Santa Maria da Feira e recentemente remetido ao DIAP distrital do Porto, tem quatro arguidos constituídos", refere.

Na quarta-feira, a estação televisiva SIC noticiou que quatro jogadores do Rio Ave tinham sido constituídos arguidos, por estarem envolvidos num alegado caso de viciação de resultados.

De acordo com a estação televisiva, os jogadores foram aliciados para perder jogos, nomeadamente na visita ao Feirense, um encontro da 20.ª jornada do campeonato disputado em 6 de Fevereiro, que terminou com vitória da equipa da casa, por 2-1, e que na altura levantou suspeitas que motivaram a suspensão das apostas.

O Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia justificou a decisão devido ao "volume atípico de apostas registado e o risco financeiro envolvido".

A SIC acrescenta que a PJ do Porto está a investigar o caso há quase um ano e que tem fortes indícios de prática de crime. Os jogadores terão recebido avultadas somas de dinheiro para adulterarem o resultado do encontro.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub