Política Ministério Público do Brasil pede arquivamento de investigação contra Lula da Silva

Ministério Público do Brasil pede arquivamento de investigação contra Lula da Silva

Procuradores do Ministério Público Federal (MPF) do Brasil pediram esta terça-feira o arquivamento de uma investigação criminal contra o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva por suspeita de obstrução das investigações da Lava Jato.
Ministério Público do Brasil pede arquivamento de investigação contra Lula da Silva
Ueslei Marcelino/Reuters
Lusa 11 de julho de 2017 às 21:20

A investigação havia sido aberta com base na delação premiada (colaboração com a Justiça em troca de redução da pena) do ex-senador Delcídio do Amaral. O ex-senador disse em depoimento aos investigadores da Lava Jato que Lula da Silva tentou persuadir os senadores Edson Lobão e Renan Calheiros a criar um gabinete de crise para conter os avanços da operação, que investiga os crimes cometidos na petrolífera estatal Petrobras e noutras instituições públicas do Brasil.

 

No parecer pelo arquivamento da investigação, o procurador Ivan Marx diz não haver provas da "existência de real tentativa de embaraço às investigações" da Lava Jato.

 

"Não havendo nenhuma corroboração para a versão apresentada pelo delator, e nem mesmo a possibilidade de buscá-la por outros meios, o arquivamento dos autos é medida que se impõe. No caso, não há que se falar na prática de crime ou de ato de improbidade", lê-se no pedido do procurador.

 

Ivan Marx afirmou ainda que "não se pode olvidar o interesse do delator em encontrar fatos que o permitissem encontrar fatos para terceiros, e dentre estes especialmente o ex-Presidente Lula [da Silva] como forma de aumentar seu poder de barganha ante a Procuradoria-geral da República no seu acordo de delação".

 

Este não é o único processo que envolve o ex-Presidente Lula da Silva e o ex-senador Delcídio na Justiça brasileira. Os dois são mencionados noutra investigação sobre a suspeita de ambos terem tentado prejudicar as investigações da Lava Jato, comprando o silêncio do ex-director da Petrobras, Nestor Cerveró.

 

Lula da Silva é ainda réu noutras ações envolvendo a operação Lava Jato. Num destes processos, o ex-Presidente é acusado de ter supostamente recebido vantagens indevidas da construtora OAS por através da compra de um apartamento de luxo na cidade de Guarujá, no litoral. O caso, analisado pelo juiz Sérgio Moro, já está na fase final.

 

Lula da Silva também é acusado de receber um terreno da construtora Odebrecht como forma de suborno para, em troca, favorecer os interesses da empresa perante o Governo brasileiro.

 

O ex-Presidente sempre negou todas as acusações contra si e declarou, em diversas oportunidades, que é vítima de perseguição de membros da operação Lava Jato e do aparelho judicial brasileiro.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub