Justiça Ministério Público: Reunidas condições para contar o prazo para fase de instrução na Operação Marquês

Ministério Público: Reunidas condições para contar o prazo para fase de instrução na Operação Marquês

No início do mês, o Ministério Público solicitou ao tribunal que só no dia 19 decidisse o início da contagem do prazo para a abertura de instrução.
Ministério Público: Reunidas condições para contar o prazo para fase de instrução na Operação Marquês
Lusa 20 de janeiro de 2018 às 14:27

O Ministério Público considera que estão reunidas as condições para se iniciar a contagem do prazo para requerer a instrução, remetendo para o juiz a decisão da prorrogação pedida pelos arguidos, disse fonte da Procuradoria-Geral da República à Lusa.


Esta informação surge na sequência da divulgação de que os ficheiros com as escutas da Operação Marquês entregues aos advogados estavam infectados com vírus informáticos, o que veio constituir mais um obstáculo ao avanço do processo judicial.


Contudo, a PGR esclareceu que "neste momento, a cópia de ficheiros informáticos de prova, solicitada pelos arguidos, encontra-se concluída".


Desse modo, "o Ministério Público considera que estão reunidas as condições para se iniciar a contagem do prazo para requerer a instrução", disse à Lusa fonte da Procuradoria-Geral da República (PGR).


A mesma fonte acrescentou que "uma vez que vários arguidos solicitaram a prorrogação do prazo legalmente fixado para a abertura da fase de instrução, caberá agora ao juiz decidir essa questão".


No início do mês, o Ministério Público solicitou ao tribunal que só no dia 19 decidisse o início da contagem do prazo para a abertura de instrução da Operação Marquês, alegando que a entrega de ficheiros informáticos de prova aos arguidos é demorada.


Assim, o juiz Carlos Alexandre deveria ter decidido na sexta-feira se prolongava, como lhe pediram os advogados, o tempo concedido às defesas para estudarem o processo antes da abertura da fase de instrução, mas a contaminação dos ficheiros com vírus informáticos levou-o a adiar a decisão, segundo noticia o "Público".


Por norma, o prazo previsto não pode ultrapassar os 50 dias, mas a excepcional dimensão do processo poderia ditar um alargamento desse prazo. No entanto, o Ministério Público considera que estão reunidas as condições para o início da contagem do prazo.

 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
ESCROQUE ! 21.01.2018

Nem muitas palavras mereces, canalha !

O TEU LUGAR É APODRECER NA CHOLDRA, MAS TERÁS TAMBÉM DE SER OBRIGADO A DEVOLVER O QUE ROUBASTE, FDP, PORQUE É ISSO QUE MAIS DÓI A ESTES PULHAS.

Anónimo 21.01.2018

Portugal é uma economia que se foca exageradamente no sindicalismo e esquece por completo a boa gestão de recursos humanos, que teria que estar associada a um mercado laboral flexível, a um mercado de capitais forte e dinâmico, e a um Estado Social equilibrado e eficaz. Por isso tem vivido de resgate em resgate, fundo europeu em fundo europeu e com polícias, bombeiros, hospitais e escolas mal equipadas, cheias de infraestruturas decrepitas e material obsoleto dignos de países do Terceiro Mundo ou de há 40 anos atrás. Temos assim um país cada vez mais selvagem e barato, no pior sentido dos termos.

General Ciresp 21.01.2018

Diz o ditado.um afogado aflito agarra-se seja ele a 1 navalha de barbeiro.Se as 4.000 paginas nao forem suficientes para condenar este ladrao do seculo,o pais ainda vat ter de REPAGAR tudo q lhe foi apontado.Obama queria resolver a guerra da Siria na secretaria,Putin meteu maos a obra e a resultado

Ciifrão 20.01.2018

O enredo está a perder interesse, as pessoas não me parecem muito interessas nas desventuras do Engenheiro. Por este andar ser condenado ou ficar inocente já nem interessa. Cargos políticos relevantes, a maior aspiração da mente megalómana do nosso Sócrates, parece-me ser passado sem regresso.

ver mais comentários
pub