Justiça Ministra da Administração Interna abre inquérito a todas as viagens pagas por empresas privadas

Ministra da Administração Interna abre inquérito a todas as viagens pagas por empresas privadas

Constança Urbano de Sousa quer um inquérito "alargado às viagens pagas por entidades privadas a funcionários de todos os serviços tutelados pelo Ministério da Administração Interna".
Ministra da Administração Interna abre inquérito a todas as viagens pagas por empresas privadas
Bruno Simão/Negócios
Nuno Carregueiro 29 de agosto de 2017 às 19:00

Constança Urbano de Sousa anunciou que determinou à Inspecção Geral da Administração Interna a abertura de um inquérito "com vista ao apuramento de todas as circunstâncias" relativas à participação de um funcionário da Secretaria-Geral da Administração Interna num evento que decorreu nos EUA e que foi financiado por uma empresa privada.

 

Numa nota enviada à comunicação social, a ministra não detalha o evento, mas este será o Oracle Open World 2014, que segundo noticiou ontem o jornal Observador, contou com a participação de cinco altos funcionários do Estado português, que viajaram para São Francisco com tudo pago pela tecnológica norte-americana.

 

Segundo o mesmo jornal, o funcionário em causa é Francisco Baptista, chefe de Equipa Multidisciplinar de Sistemas e Produção (EMSP) da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna.

 

Em declarações ao Observador, o Ministério da Administração Interna remeteu para o anterior executivo, pois "a situação em causa, a ter ocorrido, refere-se ao período do anterior executivo".

 

Agora, na nota à comunicação social, Urbano de Sousa anuncia a abertura de um inquérito, que vai mais longe do que esta viagem de um funcionário aos EUA a convite da Oracle.

 

"A Ministra da Administração Interna determinou igualmente que o Inquérito, que deverá estar concluído no prazo de 30 dias, seja alargado às viagens pagas por entidades privadas a funcionários de todos os serviços tutelados pelo Ministério da Administração Interna", refere a nota.

 

Ou seja, Urbano de Sousa quer que sejam averiguadas todas as viagens em que participaram funcionários do MAI e que foram pagas por entidades privadas.

 

Isto numa altura em que crescem os casos de viagens de funcionários públicos pagas por empresas privadas.

 

No sábado, a Autoridade Tributária (AT) revelou que está a conduzir um inquérito sobre as circunstâncias que levaram destacados funcionários do Estado a aceitar uma viagem à China paga por uma associada da empresa Huawei, disse hoje à agência Lusa fonte do Governo.

 

Já esta segunda-feira, 28 de Agosto, pelo menos seis dirigentes do Ministério da Saúde colocaram os seus lugares à disposição, incluindo um que (ao que se sabe) nem sequer participou nas viagens: o presidente dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS). De acordo com um comunicado do gabinete do ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes registou o gesto, mas prefere esperar pela investigação em curso antes de tomar uma decisão.

 

Ontem à noite, num comunicado enviado à Lusa, a Nos "confirma que, em Junho de 2015, colaboradores da empresa participaram numa viagem de trabalho a Zhang Zhou e Shenzehen, que teve como único objectivo partilhar com os participantes conhecimento e melhores práticas na área da saúde".

 




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Olharapo 30.08.2017

Esta Geringonça já começa a cheirar mal de tanta flatulência sem efeito , é só bla, bla , bla para entreter parolos !
É caso para dizer quwe 'É só Gazes'

Anónimo 30.08.2017

Boa!!!

Vamos ver se o Ministério da Saúde vai fazer o mesmo aos seus funcionários (médicos , farmacêuticos, etc) que correm o mundo à conta das firmas farmacêuticas !!!!

pertinaz 30.08.2017

ESTA BEM PODE PEDIR AJUDA AO NAMORADO DOS FLIPPERS...!!!

Anónimo 30.08.2017

Inquérito para quê?! Vão despedir as pessoas envolvidas? Se assim for estou completamente de acordo que se invista dinheiro e tempo nisto. De seguida façam o mesmo na saúde mas com moderação para não ficarmos sem a maioria dos médicos, enfermeiros e farmacêuticos dos hospitais públicos e afins :)

ver mais comentários
pub