Economia Ministra: "O fácil para mim seria a demissão. Acha que o problema estava resolvido?"

Ministra: "O fácil para mim seria a demissão. Acha que o problema estava resolvido?"

Constança Urbano de Sousa defendeu que um "Portugal sem incêndios depende de cada um de nós". A ministra da Administração Interna diz que é necessário fazer uma reflexão sobre o novo sistema de protecção civil.
A carregar o vídeo ...
Diogo Cavaleiro 16 de outubro de 2017 às 11:44

"O fácil para mim seria a demissão. Seria fácil. Acha que o problema estava resolvido?" Foi assim que Constança Urbano de Sousa, ministra da Administração Interna, reagiu a uma pergunta sobre se se sentia confortável em manter-se em funções, após a confirmação de 27 mortos nos incêndios de domingo, 15 de Outubro, após a tragédia de Pedrógão Grande, que matou 64 pessoas em Junho passado.

"Ia-me embora, ia ter as férias que não tive. Ia resolver o problema? Não, não ia!", continuou a governante, numa conferência de imprensa esta segunda-feira. "Acho que não é o momento para a demissão. É o momento para a acção".

Inicialmente, a ministra nem se tinha estendido sobre a hipótese da sua manutenção em funções. Quando questionada pela primeira vez sobre se iria avançar para a demissão, a ministra respondeu: "Neste momento, estou aqui empenhada em trabalhar, a viver uma situação absolutamente extraordinária. Estou aqui a trabalhar e a acompanhar a situação". Foi também desta forma que o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, referiu-se aos mais de 500 incêndios que ocorreram em Portugal este domingo: "uma terrível combinação de fenómenos extremos".

A governante referiu que há vários trabalhos pela frente no combate aos incêndios, continuando um raciocínio já ontem referido pelo primeiro-ministro: "O que está a falhar, já falha há muito tempo: é a prevenção estrutural. É preciso trabalhar nesse domínio".

Constança Urbano de Sousa referiu a necessidade de "fazer uma reflexão séria sobre adequação do sistema de protecção civil" e a sua ligação às situações climatéricas extremas que têm vindo a ocorrer, nomeadamente a proporção de bombeiros voluntários face ao total. A ministra sublinhou, contudo, que este não é um tema unicamente português, referindo-se aos incêndios que também deflagraram na Galiza, Espanha.

Apesar disso, a responsável governamental pela pasta da Administração Interna referiu que o trabalho de prevenção de incêndios depende de todos, como já tinha sido defendido pelo secretário de Estado Jorge Gomes: "Apesar de todas as proibições [continuam a acontecer queimadas]. Cada um de nós, os cidadãos, tem de comportar-se em conformidade. Portugal sem incêndios depende de cada um de nós", disse Constança Urbano de Sousa, em declarações transmitidas pelos canais de televisão.

 

 

(Notícia actualizada às 12:10 com mais informações)




A sua opinião78
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 6 dias

Existem duas medidas básicas que devem ser tomadas, analisar em pormenor os curriculuns e competencias de todos os nomeados para a cadeia de comando da Proteção Civil, de alto a baixo, para alêm disso deve-se analisar tambêm os critérios de nomeação. Os quase 100 mortos e as suas familias exigem essas medidas. Sem estas medidas, o governo e quem o compõe ficará com as mãos manchadas de sangue dos mortos.

comentários mais recentes
Bruno Jesuíno Há 6 dias

NÂO RESOLVE MAS É UM BOM COMEÇO!!!!
O MÌNIMO QUE SE EXIGE PARA SE CONVENCER ALGUÈM QUE ISTO ESTÁ A SER LEVADO A SÉRIO!!!!
ISTO NÃO É NORMAL!!! NÃO É ACEITÁVEL!!! NÃO PODE ACONTECER!!! nA GALIZA COM 4 MORTOS ESTÁ TUDO NA RUA!!!! aQUI JÁ VAMOS EM 100!!!

pertinaz Há 6 dias

A BESTA DO COSTA DEVIA IR PELO MESMO CAMINHO QUE A MINISTRA... AINDA ONTEM DISSE QUE VÃO MORRER MAIS PORTUGUESES NOS INCÊNDIOS... COMO É POSSÍVEL ACEITAR TAL ENORMIDADE...???

Treta a igualdade H/Mulher Há 6 dias

A Prova da Mentira de Políticos q enche a Boca com Igualdade de Gênero, Ninguém dúvida q a Perseguição á Ministra da AI é Política, porque escolheram 1 Mulher? Pq os ataques á Senhora Provém mais, das Mulheres ? Que ocupam Altos Lugares na Política?as q enchem tanto a boca na igualdade,concluam.

judas a cagar no deserto Há 6 dias



Tristeza canhota.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub