Economia Ministro da Economia: aumento do salário mínimo coincidiu com crescimento do emprego e exportações

Ministro da Economia: aumento do salário mínimo coincidiu com crescimento do emprego e exportações

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, sublinhou hoje que Portugal conheceu no último ano um "aumento recorde" do emprego e um crescimento nas exportações, ao mesmo tempo que aumentou o salário mínimo nacional.
Ministro da Economia: aumento do salário mínimo coincidiu com crescimento do emprego e exportações
Lusa 19 de maio de 2017 às 21:01

"Estivemos um ano inteiro a ouvir que o aumento do salário mínimo levaria a uma quebra da competitividade das exportações e a uma redução do emprego. Tivemos um aumento do salário mínimo e um aumento recorde do emprego, não houve um aumento do emprego tão grande desde o início do século, e estamos a ter um crescimento das exportações como não se verificava há mais de seis anos", referiu.

 

Caldeira Cabral reagia assim ao estudo, hoje apresentado, dos economistas Pedro Portugal e Olivier Blanchard, que defende que um aumento do salário mínimo como previsto e prometido pelo Governo português terá "efeitos adversos no emprego", sobretudo para os trabalhadores pouco qualificados, "a menos que as contribuições sociais sejam reduzidas".

 

"As pessoas sabem perceber o que é que os números dizem e sabem fazer as contas", contrapôs o ministro da Economia.

 

Manuel Caldeira Cabral falava em Póvoa de Lanhoso, distrito de Braga, à margem de uma visita às futuras instalações do grupo Prozis, um investimento de 12 milhões de euros que irá criar uma centena de postos de trabalho. 


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
}
pub