Conjuntura Ministro da Economia diz serem "descabidas" especulações sobre segundo resgate

Ministro da Economia diz serem "descabidas" especulações sobre segundo resgate

Na sexta-feira passada a agência de notação financeira DBRS manteve o 'rating' atribuído a Portugal em 'BBB' (baixo), o primeiro nível de investimento e já fora do 'lixo', e confirmou a perspectiva estável.
Ministro da Economia diz serem "descabidas" especulações sobre segundo resgate
Lusa 24 de Outubro de 2016 às 20:50
O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, disse hoje, em Caminha, distrito de Viana do Castelo, serem "totalmente descabidas" especulações que apontam para um segundo resgate a Portugal.

"São totalmente descabidas e não faz sentido nenhum falar sobre elas", afirmou Caldeira Cabral aos jornalistas quando questionado por jornalistas da Galiza sobre essa possibilidade noticiada hoje pelo jornal La Voz da Galicia.

Na sexta-feira passada a agência de notação financeira DBRS manteve o 'rating' atribuído a Portugal em 'BBB' (baixo), o primeiro nível de investimento e já fora do 'lixo', e confirmou a perspectiva estável.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, que falou aos jornalistas após o anúncio da DBRS, afirmou que a decisão "confirma a determinação e a justiça das medidas que o Governo tem vindo a adoptar" e referiu os indicadores económicos mais recentes, nomeadamente a nível da confiança e do volume de exportações, bem como "as revisões que diversas instituições tem vindo a fazer do défice para 2016", o que disse ser "motivo de confiança" para o Governo.

Hoje, nos Paços do Concelho, em Caminha, à entrada para uma reunião de trabalho com associações empresariais da eurorregião Norte de Portugal Galiza, Caldeira Cabral garantiu que "Portugal está num muito bom momento".

"Portugal está num muito bom momento, está com um défice que vai cumprir todos os critérios da União Europeia, está em crescimento económico, e isso é o que devemos realçar", frisou.

O governante acrescentou que Portugal "deve aproveitar o momento de recuperação económica" e que a Galiza deve tirar proveito "do momento de grandes investimentos" que está a viver.

"Para que neste novo ciclo que se abre, depois de um período de ajustamento que foi tão negativo para os dois países, possamos aproveitar todas as oportunidades para trabalharmos em conjunto para melhorar a competitividade da eurorregião Norte de Portugal/Galiza", afirmou.

Caldeira Cabral acrescentou que a eurorregião "tem uma relação antiga, tem investimentos comuns e tem relações muito grandes de intercâmbio e de amizade entre as pessoas".

"O Norte de Portugal e a Galiza têm também muitas oportunidades de negócio e algumas interligações entre empresas que já estão a aproveitar essas oportunidades de negócio, mas há ainda muitas obras por aproveitar", sublinhou.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Factum Há 1 semana

Descabidas ?nem pensar! São uma inevitabilidade

pub
pub
pub
pub