Economia Ministro da Economia incentiva empresários espanhóis a investir em Portugal

Ministro da Economia incentiva empresários espanhóis a investir em Portugal

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, incentivou hoje em Madrid os empresários espanhóis a investir em Portugal, assegurando que o país vai continuar a oferecer "estabilidade e sustentabilidade" às empresas estrangeiras.
Ministro da Economia incentiva empresários espanhóis a investir em Portugal
Bruno Simão/Negócios
Lusa 16 de janeiro de 2018 às 23:36

"Não fizemos uma alteração [política] radical, mas sim uma alteração responsável que dá estabilidade e sustentabilidade" às empresas, afirmou Caldeira Cabral, num jantar/colóquio com os membros da Câmara de Comércio Hispano Portuguesa.

 

O responsável governamental explicou que a nova fase de crescimento económico foi possível depois de uma "alteração política" que permitiu Portugal passar de uma "política de austeridade" para outra "moderada e responsável". "A alteração principal foi dar confiança e estabilidade às empresas", assegurou o ministro da Economia.

 

Manuel Caldeira Cabral sublinhou que no futuro vão continuar a ser realizadas reformas estruturais, nomeadamente com um enfoque na "inovação" e fortalecimento das empresas, através do reforço dos seus capitais próprios. "Estamos a fazer reformas estruturais a pensar no futuro", disse o ministro.

 

Na quarta-feira, Caldeira Cabral vai estar presente na sessão de abertura da Feira Internacional do Turismo de Madrid (FITUR), uma das mais importantes do mundo, que é inaugurada pelos reis de Espanha.

 

"Este sector está a crescer [em Portugal] a cerca de 10% e no futuro pode crescer mais e melhor", disse o responsável governamental, acrescentando que um dos objectivos da sua presença em Madrid é o de mostrar o 'Melhor Destino do Mundo' (Portugal), uma distinção atribuída pelos World Travel Awards.

 

Portugal vai ter a maior representação de sempre na FITUR, com as sete regiões de turismo nacionais acompanhadas por 76 empresas (61 em 2017) e cinco 'startups' (empresas em início de actividade, quatro em 2017) que vão ocupar 913 metros quadrados.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Só se fossem malucos, investir com um governo rasga contratos e IMPOSTOS, IMPOSTOS...

pub