Mundo Ministros europeus vão avaliar se reforma fiscal dos EUA viola regras

Ministros europeus vão avaliar se reforma fiscal dos EUA viola regras

O maior corte de impostos nos Estados Unidos em mais de 30 anos estará hoje em análise na reunião do Ecofin. Centeno diz que o assunto vai ser abordado de forma "muito geral".
Ministros europeus vão avaliar se reforma fiscal dos EUA viola regras
Reuters
Negócios com Bloomberg 05 de dezembro de 2017 às 10:15

Os ministros das Finanças da União Europeia dão sinais de preocupação com o impacto da reforma fiscal nos Estados Unidos e vão esta terça-feira debater se esta viola as regras do comércio global.    

 

"Há alguns elementos de preocupação – algumas medidas discricionárias – e é possível que algumas medidas violem as regras da Organização Mundial do Comércio", afirmou o ministro das Finanças espanhol, Luis de Guindos, adiantando que iria "pedir à comissão Europeia que efectuasse uma análise às potenciais consequências da reforma fiscal".

 

A Bloomberg também falou com Mário Centeno sobre o tema, tendo o próximo presidente do Eurogrupo afirmado que a reforma fiscal dos EUA vai ser abordada de forma "muito geral" no Ecofin (ministro das Finanças da União Europeia) que decorre esta terça-feira.

 

"É muito importante para a competitividade da Zona Euro acompanhar os desenvolvimentos em todo o mundo. Todos os choques que afectem o equilíbrio mundial têm de ser considerados e certamente a política doméstica dos EUA é um assunto da maior importância para nós", afirmou Mário Centeno, em entrevista à Bloomberg TV.

 

O ponto central da reforma fiscal dos Estados Unidos é a descida da taxa de IRC dos actuais 35% para 20%, sendo que as propostas que foram aprovadas no Senado e na Câmara dos Representantes têm ainda de ser conciliadas numa só.

 

O vice-presidente da Comissão Europeia também confirmou que a reforma fiscal nos EUA será debatida no Ecofin. Valdis Dombrovskis afirmou que há um conjunto de pontos técnicos, como as transacções intra-grupo das empresas norte-americanas e a forma como são taxadas fora do país. "A questão está em saber qual o alcance" destas medidas "e quais são os efeitos no comércio".
 

Não é só na Europa que a reforma fiscal dos EUA está a gerar preocupações. As autoridades chinesas também já referiram que o corte de impostos na maior economia do mundo poderá ter um impacto negativo no seu mercado doméstico.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

Ministros europeus vão avaliar se reforma fiscal dos EUA viola regras

O PROBLEMA É QUE TRAMP DIZ NÃO TER MEDO DE NINGUÉM, PORTANTO, E MELHOR ESTAREM CALADOS!

Criador de Touros Há 5 dias

Mário Centeno agora é muito mais importante que António Costa. Costa gere a geringonça, Centeno gere o Eurogrupo.Centeno foi promovido, Costa foi despromovido. A verdade é crua e cruel.

pub