Empresas Misericórdia do Porto dá aos trabalhadores o “direito a desligar” fora de horas

Misericórdia do Porto dá aos trabalhadores o “direito a desligar” fora de horas

A Misericórdia do Porto decidiu dar aos seus 1.500 trabalhadores o “direito a desligar” o “e-mail” e o telefone depois do horário de trabalho. “Não são obrigados a responder a correios electrónicos ou a chamadas móveis” fora de horas, determina a instituição.
Misericórdia do Porto dá aos trabalhadores o “direito a desligar” fora de horas
Misericórdia do Porto dá aos seus 1.500 trabalhadores o direito de não atenderem telefonemas ou responder a "e-mails" profissionais fora do horário laboral.
Rui Neves 27 de janeiro de 2017 às 12:21

Os 1.500 trabalhadores da Misericórdia do Porto ganharam o chamado "direito à desconexão", com a instituição a reconhecer-lhes a legitimidade de poderem ficar "offline", sem atender telefonemas ou responder a "e-mails" profissionais fora do horário de trabalho.

A Misericórdia do Porto decidiu assim salvaguardar "o direito a um descanso efectivo entre as jornadas de trabalho, a necessária conciliação entre a vida profissional e a vida familiar, a protecção da segurança e saúde do trabalhador, bem como o direito ao descanso, ao repouso e à integridade física e mental" dos seus trabalhadores, afirma o provedor da instituição, em comunicado.

António Tavares estabeleceu regras para a utilização de correio electrónico, chamadas móveis e outros meios de comunicação à distância, fora das horas de trabalho convencional. "Os colaboradores, por via de regra, no período pós-laboral, não são obrigados a responder a correios electrónicos ou a chamadas móveis", determina o mesmo responsável.

Relativamente aos "colaboradores que usufruem de equipamentos de comunicação à distância cedidos pela Instituição, em razão da natureza e especificidade das suas funções, devem, sem embargo do comprometimento do exercício das mesmas, sempre que possível, observar as limitações que permitam respeitar o ‘direito à desconexão’", ressalva António Tavares.

O "direito a desligar" fora do horário laboral é um tema que começou recentemente a ser alvo de um debate internacional, depois de em França ter entrado em vigor a nova lei do trabalho que adopta esse "direito à desconexão". Em Portugal, o ministro da tutela já disse que o assunto deverá ser discutido entre empresas e sindicatos. 



(Notícia actualizada às 12:26)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Dono dos Burros Há 3 semanas

Experimentem ligar-me para o telefone. Levam a mesma resposta que a miudagem do call-center. ah ah ah

Camponio da beira Há 3 semanas

Normal. Mas acham normal que eu tenha reclamado de uma multa em carta registada para três instituições publicas em 2005 e ainda hoje estou à espera de resposta?

pub