Defesa MNE: Portugal procura reaver o material roubado em Tancos

MNE: Portugal procura reaver o material roubado em Tancos

O ministro dos Negócios Estrangeiros disse hoje que Portugal está a desenvolver "todas as medidas para reaver o material [de guerra] roubado" na semana passada dos Paióis de Tancos, ato que classificou de "muito grave".
A carregar o vídeo ...
Lusa 03 de julho de 2017 às 14:02

"Estão a ser desenvolvidas todas as diligências para que os factos e as responsabilidades sejam totalmente apurados, assim como todas as medidas para reaver o material roubado", disse Augusto Santos Silva, em declarações aos jornalistas após um encontro com o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, no Palácio das Necessidades, em Lisboa.

 

Augusto Santos Silva considerou que "a violação de instalações militares" foi "um acontecimento muito grave".

 

O Exército revelou na sexta-feira que entre o material de guerra furtado na quarta-feira dos Paióis Nacionais de Tancos estão granadas foguete anticarro, granadas de gás lacrimogéneo e explosivos.

 

O chefe do Estado-Maior do Exército, Rovisco Duarte, anunciou no sábado que afastou provisoriamente os cinco comandantes de unidades do campo militar para não interferirem com os processos de averiguações sobre o caso.

 

No final do encontro com Guterres, o chefe da diplomacia portuguesa assegurou que "as obrigações internacionais" no quadro das alianças políticas e militares a que Portugal pertence "foram e estão a ser cumpridas".

 

O ministro escusou-se a comentar a questão levantada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, este domingo, quando pediu que se investigue se existe alguma ligação entre este furto e outros dois que disse terem acontecido "nos últimos dois anos em países membros da NATO, um deles há poucos meses", sem especificar a que Estados se referia.

 

"Não devo acrescentar nada à investigação em curso. Devo apenas chamar a atenção que este tipo de ataques infelizmente acontece, incluindo no quadro dos aliados da NATO e a própria aliança político-militar que é a NATO tem os instrumentos necessários para cooperação entre países no sentido de prevenir e quando estes ataques infelizmente ocorrem, apurar todos os factos, todas as responsabilidades e desenvolver todas as contramedidas necessárias", mencionou.

 

Sobre este furto, o secretário-geral da ONU disse encarar "com um misto de preocupação", por existirem "ameaças desta natureza", mas afirmou ter "confiança que as autoridades portuguesas tudo farão para esclarecer e resolver as consequências deste ato".

 

 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 03.07.2017

Parece que as virgens ofendidas vão depositar as espadas frente ao palácio de Belém.Eu nem sabia que tinham esse artefacto.Mais uns dinheiritos para engalanar, mas trabalho nada.Nem a casa guardam e acham-se os maiores.O problema é que nas FA, só existem chefias,os oficiais incluídos.Soldados poucos

Se... 03.07.2017

Se os ladrões forem de direita, de certeza que serão não só apanhados, como devidamente malhados. Mas corra, camarada m(S)inistro e apanhe-os rapidinho. Claro que isso pouco importa, porque a culpa vai, mais uma vez, morrer solteira.

37 03.07.2017

isto vai extravasar para os serviços secretos e com esses não se brinca se fosse só com a nossa PJ estava tudo controlado

Camponio da beira 03.07.2017

Maltratar um cão é crime publico. Um funcionario da Tap, foi agredido brutalmente, os agressores foram idenficados e seguiram para o seu pais tranquilamente e o agredido, terá que apresentar queixa, o que não vai adiantar nada. Pedrógão e Tancos explicados.

pub