Orçamento do Estado Moedas salienta "grande papel" do Parlamento Europeu em manter fundos a Portugal

Moedas salienta "grande papel" do Parlamento Europeu em manter fundos a Portugal

A reacção do comissário chega depois de o Executivo europeu ter decidido não apresentar qualquer proposta de suspensão de fundos a Portugal, concluindo que o procedimento por défices excessivos deve ser suspenso.
Moedas salienta "grande papel" do Parlamento Europeu em manter fundos a Portugal
Lusa 16 de Novembro de 2016 às 13:54
O comissário europeu para a Inovação, Ciência e Investigação, Carlos Moedas, destacou hoje o "grande papel" do Parlamento Europeu (PE) no processo que conduziu à não suspensão dos fundos estruturais a Portugal, por défice excessivo.

"Penso que aqui, o Parlamento [Europeu] teve um grande papel. A discussão e o diálogo estruturado com o PE ajudou" a Comissão Europeia a decidir sobre os fundos estruturais e de financiamento.

A Comissão Europeia decidiu hoje não apresentar qualquer proposta de suspensão de fundos a Portugal, após concluir que, em função da "acção efectiva" realizada pelas autoridades nacionais, o procedimento por défices excessivos (PDE) deve ser suspenso.

O Parlamento Europeu tinha recomendado à Comissão Europeia a não suspensão dos fundos a Portugal e Espanha, tendo dado por encerrado o "diálogo estruturado" sobre esta matéria após as audições de hoje aos ministros das Finanças dos dois países, no dia 8.

Foi a primeira vez que PE e executivo comunitário recorreram ao "diálogo estruturado" no âmbito do PDE.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
L Há 3 semanas

Também temos direito ao mesmo "tratamento" dado pelo Sr Barroso e Junker ás contas francesas para o déficit o sol quando nasce é para todos...

pub
pub
pub
pub