Zona Euro Moody’s alerta que novo Governo pode ter implicações negativas no rating de Espanha

Moody’s alerta que novo Governo pode ter implicações negativas no rating de Espanha

A agência de notação financeira acredita que o Executivo de Rajoy não terá apoio suficiente para implementar as reformas económicas de que Espanha necessita.
Moody’s alerta que novo Governo pode ter implicações negativas no rating de Espanha
Reuters
Rita Faria 07 de Novembro de 2016 às 14:34

A Moody’s alertou esta segunda-feira, 7 de Novembro, para o facto de o novo Governo minoritário de Espanha poder ter implicações negativas para o rating do país, a quarta maior economia da Zona Euro.

 

Segundo a agência noticiosa, o novo Executivo liderado por Mariano Rajoy, que tomou posse no passado dia 4 de Novembro, terá dificuldades em implementar as grandes reformas económicas de que Espanha precisa para reduzir o défice orçamental, e deverá falhar os objectivos impostos pela UE.

 

O Governo do Partido Popular "terá dificuldades em obter apoio legislativo ou popular suficiente para implementar o tipo de programa de reforma abrangente que os observadores internacionais identificaram como essencial para resolver a debilidade orçamental de Espanha e melhorar o potencial de crescimento da economia a longo prazo", concretizou a Moody’s numa advertência que não constitui uma revisão da nota de Espanha, citada pelo Financial Times.

 

A agência de rating sublinha ainda que o plano orçamental para 2017 será o "primeiro teste chave" do novo Governo.

 

A tomada de posse de Rajoy, no início deste mês, pôs fim a 320 dias em que Espanha esteve com um executivo em funções com poderes limitados.

 

O novo Governo é apoiado apenas pelo Partido Popular (PP, direita) que no Congresso de Deputados tem 137 deputados num total de 350.

Em Junho, o PP teve 33% dos votos, seguido pelo PSOE com 22,7% e 85 deputados, Unidos Podemos (extrema-esquerda) com 21,1% e 71 deputados e Cidadãos (centro) com 13% e 32 deputados.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub